João Pessoa
Feed de Notícias

Artesãos reforçam produção para 21º Salão de Artesanato da Paraíba

terça-feira, 2 de dezembro de 2014 - 10:35 - Fotos:  João Francisco/ Secom-PB

Criatividade, habilidade e matéria-prima genuinamente paraibana. Com esses atrativos os artesãos estão produzindo peças em ritmo acelerado para ampliar o estoque de produtos na Casa do Artesão, no Varadouro, para a 21ª edição do Salão de Artesanato da Paraíba. A abertura oficial do evento será no dia 18 de dezembro e fica aberto à visitação até 20 de janeiro de 2015, na Praia do Cabo Branco, em João Pessoa.

No ofício há 50 anos, o artesão Enoque Bernado, natural de João Pessoa, trabalha de maneira ininterrupta para que os brinquedos em madeira fiquem prontos e atenda a clientela até na pós-venda. “Faço tudo sozinho, dos moldes, montagem e acabamento final. Minha esposa me ajuda nos detalhes de pintura e sempre dou conta. Desde criança fazia meus brinquedos e depois de adulto fico feliz em colocar minhas habilidades em prática e agradar meus contemporâneos que chegam para comprar os automóveis para seus netos, mesmo com a grande concorrência da industrialização”, afirmou.

O artesão é conhecido pelas réplicas de automóveis como caminhões, ônibus e aeronaves. Atualmente ele possui produtos espalhados por todo o Brasil e, principalmente na Capital, tendo seus produtos comercializados no Mercado de Artesanato, na Avenida Ruy Carneiro, bem como na Orla de Tambaú, no Centro Turístico de Artesanato.

Para a gestora do Programa de Artesanato da Paraíba (PAP), Lu Maia, a Casa do Artesão tem um grande potencial para a comercialização e divulgação do artesanato paraibano. “A nossa intenção é movimentar a Casa do Artesão para o turismo, a cultura, onde poderemos também desenvolver ações culturais, capacitações para o público interno (artesãos) e externo (público em geral). E assim estimularmos cada vez mais o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico da cadeia produtiva. Os artesãos estão empenhados e isto é muito gratificante”.

Ela disse ainda que foi aprovado um regimento interno da Casa e eleito um Conselho Administrativo, através de um processo eleitoral entre os artesãos. Além disso, está sendo analisada a possibilidade de um edital de ocupação para que os boxes livres, internos e externos sejam concedidos de maneira democrática aos artesãos que precisam.

Especialista no manuseio das peças rústicas em cipó, o artesão José Félix aprendeu o ofício com o pai. A cada época do ano ele adapta sua produção para atender as festividades. Entre os produtos comercializados para o Salão estão luminárias, relógios, jardineiras, quadros e outros objetos decorativos. Seus produtos variam de R$ 3,00 até R$ 1.000,00. “As novidades deste ano são os relógios com cipó e árvores de natal dos mais diversos tamanhos. Todos os anos, antes mesmo de terminar o Salão, eu não tenho mais peças para comercializar porque consigo vender tudo”, enfatizou.

Além das peças em crochê – tema deste ano – habilidades manuais, couro, fios, metal e madeira, a cerâmica será outro grande destaque do Salão. As irmãs ceramistas Adelaide e Tê Cavalcanti, trabalham na Casa do Artesão há 24 anos e já participaram de todas as edições do evento, bem como, de feiras nacionais.

As peças mais conhecidas e procuradas são os anjinhos, sereias, mulheres grávidas e noivinhas. Todo o processo de confeccção das peças dura em torno de 24 horas de preparação e requer muitos cuidados. “Da argila molhada nós coamos, entra num processo de decantação, moldagem, acabamento até o processo de queima que dura doze horas. Por fim, colocamos a maquiagem das bonecas e acessórios para que elas ganhem vida e personalidade. Estamos ansiosas para o início do Salão, pois queremos vender nossas peças e ser reconhecidas em nosso Estado, que é o mais importante”, disse Adelaide.

Casa do Artesão – Localizada na Rua Maciel Pinheiro, no Centro de João Pessoa, a Casa do Artesão é um prédio histórico e foi recém-inaugurado pelo Governo do Estado com o objetivo de impulsionar a economia e dar mais conforto aos artistas e fortalecer a cultura paraibana.

Além dos 44 boxes externos, onde os artesãos comercializam suas criações, o espaço disponibiliza um salão de vendas, um auditório e uma oficina de mestres artesãos.  A Casa funciona no horário das 7h às 18h. Mais informações através dos telefones 3241-3928 e 8760-7033 (Arnaldo Pereira, presidente da Comissão da Casa do Artesão).