Fale Conosco

13 de julho de 2009

Artesãos paraibanos realizam negócios de R$ 131 mil durante feira nacional realizada em Olinda



Os artesãos paraibanos têm muito o que comemorar. Depois do sucesso que foi o X Salão do Artesanato em Campina Grande, promovido pelo Governo do Estado e o Sebrae-PB, em que foram realizados negócios num total de R$ 810.033,00 em vendas, agora os 415 artesãos de 15 municípios que participaram da X Feira Nacional de Negócios de Artesanato (Fenneart), realizada em Olinda (PE), venderam mais R$ 131.000,00 entre as 33 tipologias lá apresentadas. As tipologias paraibanas expostas foram brinquedos populares, cerâmica, couro, fibras, fios, madeira, metais, osso, algodão colorido e ainda a gastronomia através de doces feitos a base de rapadura.

A Fennearte já é reconhecida como uma das mais importantes exposições do setor, gerando negócios superiores a R$ 20 milhões e apresentando criações brasileiras e internacionais. Nessa décima edição, realizada no Centro de Convenções de Pernambuco, a homenagem foi para os ‘100 Anos do Mestre Vitalino’, através de um museu com réplicas de seus trabalhos e uma visita interativa à sua casa, na entrada da feira. A ‘Alameda dos Mestres’ também expunha trabalhos de outros 36 mestres-artesãos pernambucanos e no Espaço Interferência, a grande homenageada foi a falecida arquiteta Janete Costa, por seu permanente incentivo ao artesanato popular brasileiro, inclusive o paraibano, já que ela foi curadora da Casa do Artista Popular.

O evento reuniu artesãos de todo o Nordeste e também de 26 países, sendo considerado pelos participantes como um dos melhores em resultados financeiros, estrutura, número de visitantes e organização.

Segundo a gestora do Programa de Artesanato Paraibano, Marielza Araújo, o Governo do Estado procura cada vez mais “promover o artesanato paraibano através de participações em eventos do porte de uma Fenneart, que resulta na abertura de mercado para os profissionais do setor. Com isso, eles podem expor seus produtos para comercialização a nível nacional e internacional, garantindo-lhes trabalho e renda, consequentemente a sustentabilidade da atividade na Paraíba”.

Goretti Zenaide, da Assessoria de Imprensa do Programa de Artesanato Paraibano