Fale Conosco

23 de agosto de 2016

Artesãos integrantes do Programa do Artesanato da Paraíba estão entre os 100 melhores do país



Entre mais de dois mil inscritos, cinco paraibanos foram escolhidos entre os melhores artesãos do país. Os vencedores participarão da cerimônia Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato em novembro, no Rio de Janeiro. Todos os representantes fazem parte do Programa do Artesanato da Paraíba (PAP) e têm recebido toda a qualificação e orientação necessárias para participação de feiras e eventos.

A Paraíba teve 84 inscritos e os selecionados foram: Lenita Fernandes Maia de Gurinhém; Valci Oliveira, de Campina Grande; Elizabeth Paz, de João Pessoa; Rosineide Gonçalves, da Associação Sereias da Penha, João Pessoa; e Maria da Conceição Emiliano, da Cooperativa Artesanal As Cabritas, Boa Vista. A seleção faz parte do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato.

A gestora do PAP, Lu Maia, comentou que o Sebrae tem sido um importante parceiro de aperfeiçoamento e visibilidade dos artesãos paraibanos e que o Governo do Estado, por meio do Programa do Artesanato, sempre incentivou os artesãos a se aperfeiçoarem e os orientou a proceder em casos de inscrições e prêmios como esse.

A analista técnica do Sebrae Paraíba, Maísa Duarte, afirmou que a premiação demonstra o reconhecimento do artesanato paraibano e que nas últimas três edições, o estado teve 25 trabalhos premiados. Esta é a quarta edição do prêmio, que segundo a técnica, reconhece as 100 melhores unidades de produção artesanal, não somente pela qualidade dos seus produtos, mas também por suas práticas de gestão.

Lenita Fernandes Maia, da cidade de Gurinhém, foi escolhida por sua peça de tecelagem e trançados com fibras naturais. Já Elizabeth Paz, de João Pessoa, foi reconhecida pelo seu artesanato de objetos de adorno e acessórios de moda. O outro reconhecimento para João Pessoa foi para Rosineide de Oliveira Gonçalves, da Associação de Artesãs Sereias da Penha, que inscreveu um colar produzido com escamas de peixe.

Da cidade de Boa Vista, a vencedora foi a artesã Maria da Conceição Emiliano, da Cooperativa Artesanal As Cabritas, com objetos com matérias-primas industrializadas. Já a vencedora de Campina Grande foi Valci Oliveira, na categoria objetos frágeis, com um São João em cerâmica.