Fale Conosco

24 de novembro de 2010

Arnaldo Antunes e Nélida Piñon são atrações do Salão do Livro



O ex-integrante do grupo Titãs, Arnaldo Antunes, e a membro da Academia Brasileira de Letras, Nélida Piñon, foram as grandes atrações dessa terça-feira (23) no I Salão Internacional de Livro. O evento, que começou no último sábado (20), ocorre no Espaço Cultural José Lins do Rego até o dia 28 deste mês.

De maneira informal e descontraída, Arnaldo e Nélida se apresentaram no Teatro de Arena e responderam perguntas do público. Assuntos sobre carreira e vida pessoal foram abordados em uma espécie de bate-papo conduzido pelo jornalista Linaldo Guedes.

A professora universitária, Tânia Zagury, também participou do evento. Autora de livro que ajuda a combater o bullying, ela ensinou as formas de prevenir esse tipo de violência muito comum nas escolas.  As três apresentações atraíram a presença de dezenas pessoas. Entre elas estavam artistas, jornalistas, músicos e escritores.

A educadora Tânia Zagury foi a primeira a ser recepcionada pelo público. Participando do quadro ‘Fique Ligado’, ela mostrou os danos causados pelo bullying. O termo estrangeiro é usado para identificar situações de humilhação e agressões que determinadas crianças e adolescentes impõem a colegas de escola da mesma faixa etária. Agressividade, ansiedade, baixa auto-estima e, em casos mais extremos, até depressão são alguns dos efeitos que o bullyng causa nas vítimas.

“Pais e professores devem se unir e mostrar ao praticante do bullying como essa violência é capaz de causar dor e sofrimento a suas vítimas. Isso não é fácil e piora à medida que a criança cresce, porque  seu padrão de comportamento vai sendo formado”, explicou.

Observar comportamento das crianças e manter diálogo aberto dentro de casa são atitudes que podem evitar prejuízos dessa violência. “Os pais devem ficar atentos aos amigos dos filhos e procurar ajuda da escola e de especialistas no assunto, sempre que perceber algum comportamento suspeito. Tanto a vítima, quanto o agressor deixam sinais claros da presença do bullying. Os pais só precisam ver esses sinais”, afirmou.

Arnaldo Antunes

Após as orientações da professora Tânia Zagury, foi a vez de Arnaldo Antunes ser recebido pelo público paraibano. Em entrevista ao jornalista Linaldo Guedes, o músico destacou acontecimentos marcantes de sua carreira, a exemplo da participação na banda ‘Titãs’, que o projetou nacionalmente.  

Antunes também revelou detalhes da gravação dos novos CD e DVD. Com os títulos ‘Iê,iê, iê’ e ‘Ao vivo lá em casa’ as produções foram realizadas este ano com a participação dos cantores Erasmo Carlos, Jorge Benjor e grupo ‘Demônios da Garoa’.

No auge dos quase 50 anos de vida, o artista também resolveu transferir para as canções os sentimentos e emoções dessa etapa de sua vida. “O DVD tem algumas músicas que falam sobre o envelhecimento, já que eu estou me aproximando dessa fase. Estou tentando encarar a velhice com curiosidade e com braços abertos”, declarou.

Paixão pela poesia

Enquanto respondia perguntas do público, no teatro de arena do Espaço Cultural, Arnaldo Antunes também declarou que sente “paixão pela poesia”. Por isso, decidiu usar o talento com as melodias para compor poemas e escrever livros nesse gênero. “Tenho trabalho que transita entre a música popular e a poesia. Mas meu porto seguro é o trabalho com as palavras. Elas são meu trampolim para explorar outras artes e mídias”, ressaltou.

Após a apresentação, Antunes concedeu uma sessão de autógrafos.  A obra ‘Como é que chama o nome disso – Antropologia’, escrita por ele, há quase três anos, podia ser adquirida no Salão Internacional do Livro.  

Nélida Piñon

Premiada internacionalmente, a escritora e membro da Academia Brasileira de Letras, Nélida Piñon, foi a terceira intelectual a se apresentar no evento. Autora de vários romances, ela contou às pessoas presentes no Teatro de Arena que descobriu a vocação para as letras ainda na infância. Aos 17 anos, começou a escrever o primeiro livro e recebeu o incentivo de escritores consagrados, a exemplo de Raquel de Queiroz e Clarisse Lispector.  

“O escritor pode se inspirar e fazer do grande texto um estímulo para sua vida. Ele deve esquecer a mediocridade e pensar na grandeza. Quem quiser escrever, precisa ler os grandes textos e seguir adiante”, observou.

Apresentações musicais

Após as apresentações dos três intelectuais convidados, houve dois shows no teatro de arena do Espaço Cultural. O primeiro foi realizado pelo grupo de ala ursa ‘Urso Amigo Batucada’. Já o segundo, foi promovido pelos integrantes do ‘Cabrueira’.

O presidente da Fundação Espaço Cultural, Maurício Burity, prestigiou as atividades. Ele disse que a presença de escritores renomados no Salão Internacional do Livro enriquece a qualidade do evento e gera benefícios, principalmente, para os paraibanos.
 
“Esse salão é um marco para a literatura e conhecimento, porque só através do conhecimento é que as pessoas conseguem ter uma melhor qualidade de vida. Aqui, temos à disposição dos paraibanos os melhores livros, editoras, escritores do Brasil e de países estrangeiros. Tudo isso promove uma sinergia e ajuda os paraibanos a conquistar oportunidades”, ressaltou.

Salão do livro

O I Salão Internacional do Livro começou no dia 20 deste mês e será encerrado no próximo domingo (28). Café literário, arena cultural, arena infantil, visitação escolar e apresentação de oficinas, workshops, palestras, cinema, teatro, música e sessões de autógrafos fazem parte da programação.

O evento é promovido pelo Governo do Estado, em parceria com  Sebrae e Associação Nacional de Livrarias (ANL). Também tem apoio do Ministério da Cultura (MinC), Bibliotecas Braille & Comunitárias, Academia Paraibana de Letras (APL), Fundação Bradesco e Universidade Federal da Paraíba (UFPB).    

Nathielle Ferreira, com fotos de Ernane Gomes, da Secom-PB