Fale Conosco

3 de fevereiro de 2012

Arlinda Marques apoia baile de Carnaval para crianças cardiopatas



O Complexo de Pediatria Arlinda Marques, ligado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), vai apoiar a realização do “Baile de Máscaras do Coração”, marcado para o dia 11 deste mês, no Sesc Centro, em João Pessoa. O evento, que começa às 14h, será promovido pela Associação Círculo do Coração de Pernambuco e Paraíba com o objetivo de oferecer um momento de diversão e lazer a crianças cardiopatas.

O baile contará com apresentações de palhaços, brincadeiras, jogos, sorteios de brindes, bingo, banda com mini-trio elétrico, coroação e premiação da rainha e do rei do coração, desfile da melhor fantasia com premiação e venda de lanches para arrecadar fundos para a associação.

Desde junho de 2009, quando o Hospital Arlinda Marques começou a realizar as cirurgias cardíacas, 132 crianças e adolescentes com cardiopatia foram operadas no Estado. Só em janeiro deste ano foram cinco.

De acordo com os dados do setor de Contas Médicas do complexo hospitalar, a maioria das crianças que passam pelas cirurgias tem menos de 2 anos de idade. E o baile de Carnaval organizado pela Associação Círculo do Coração tem como foco justamente as crianças e adolescentes que esperam pela cirurgia ou que já passaram por esse procedimento. São esperadas, aproximadamente, 200 pessoas no evento.

Doações – Uma das coordenadoras da associação, Luciana Medeiros, lembrou que durante o evento também serão aceitas doações de alimentos, brinquedos, fraldas descartáveis e roupas de recém-nascidos até adolescentes de 17 anos.

De acordo com ela, o Círculo do Coração chegou à Paraíba em outubro do ano passado, por meio de uma parceria com o Governo do Estado. “A Associação também realiza o trabalho de assistência no pós-cirúrgico”, disse. Luciana acrescentou que os interessados em doar podem fazê-lo no Sesc-Centro, no dia do baile, na sede da associação ou por telefone: (83) 8727-4090.

Para a diretora geral do Arlinda Marques, Ana Márcia, as crianças e seus familiares precisam de atenção especial para superar a doença. “Nesse sentido, também nos preocupamos em realizar com a maior brevidade possível as cirurgias de todas as crianças e adolescentes que precisam”, destacou.