Fale Conosco

17 de setembro de 2013

Apreensões de animais silvestres em 2013 somam o dobro do ano anterior na Paraíba



O número de animais silvestres apreendidos pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar da Paraíba nos primeiros nove meses de 2013 já é duas vezes maior do que o ano passado inteiro. Em 2012, 796 animais foram apreendidos contra 1.608 apreendidos entre 1º de janeiro e 13 de setembro deste ano. O aumento foi influenciado pela intensificação nas ações de fiscalização e por devoluções espontâneas de animais mantidos em cativeiro.

De acordo com o comandante do Batalhão, tenente coronel Paulo Sérgio de Oliveira Bastos, os pássaros são a maioria dos animais apreendidos no Estado neste ano. “Lançamos a Operação Resgate, já que sabemos que muita gente tem pássaros em casa como uma questão cultural. Incentivamos a entrega voluntária e as denúncias pelo telefone 190 para a reinserção dos animais na natureza”, afirmou. Até 13 de setembro deste ano, foram apreendidos 1.277 aves, 203 repteis, 124 mamíferos e dois animais de outras espécies.

Em parceria com o Ibama e a Sudema, os animais capturados são levados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), na Mata do Amém, em Cabedelo, onde passam por uma triagem realizada por biólogos e veterinários e, dependendo da situação, eles são enviados para o seu habitat natural. Se a apreensão for feita perto de habitat natural, o animal pode ser reinserido no habitat de forma imediata na natureza. A multa para quem for flagrado com animais silvestres é de pelo menos R$ 500 por animal e pode chegar a R$ 5 mil se ele estiver na lista de animais em extinção.

O Batalhão Ambiental da Polícia Militar da Paraíba foi criado com o objetivo de coibir os crimes contra fauna, flora e meio ambiente, com atuação em todo o Estado. Ainda este ano, duas novas companhias de Polícia Ambiental devem ser instaladas em Campina Grande e Patos para intensificas as ações no interior da Paraíba. Três jet-skis e uma lancha também devem fazer parte da estrutura do batalhão para a fiscalização no estuário dos rios e no litoral paraibano.