Fale Conosco

23 de agosto de 2011

Antropóloga fala sobre casais soro diferentes no encontro regional de DST/aids



A antropóloga Mônica Franch, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), foi uma das palestrantes do Encontro Macro Nordeste de Coordenadores sobre DST/AIDS e Hepatites Virais, que está acontecendo no Centro de Convenções Sérgio Bernardes, no Hotel Tambaú, João Pessoa. O evento se estende até esta quarta-feira (24) e reúne cerca de 250 gestores e profissionais de saúde do Nordeste que trabalham nessa área.

No evento, a antropóloga falou ministrou a palestra “Sexualidade Assistida Entre Casais Soro Diferentes”. Na opinião de Mônica Franch, ainda falta muita informação sobre as formas de prevenção entre essas pessoas. Nesse sentido, ela defende que haja maior engajamento entre os órgãos de saúde nos três níveis de governo e que se preste melhor assistência a essas pessoas. “Os casais devem negociar, dialogar sobre as formas de prevenção para que não se criem tabus que atrapalhem o relacionamento entre eles”, disse.

Conforme a antropóloga, é preciso aprofundar o conhecimento sobre as formas de relacionamentos, assim como da realidade social no qual o casal está inserido, para poder formular novas estratégias visando políticas específicas que surtam efeitos positivos. “É importante também reafirmar a responsabilidade dos serviços públicos de saúde e dos próprios casais soro diferentes, para obter melhor qualidade de vida tendo como alvo principal não só a prevenção da doença, mas uma convivência pacífica, esclarecida e não traumatizada com o vírus”, ressaltou.

Ela acrescentou que em João Pessoa existem dois serviços para atender a esse público: o Serviço de Atendimento Especializado (SAE), do Hospital Universitário, e o Complexo Hospitalar Clementino Fraga.

Palestras – Ainda serão discutidos no evento os seguintes temas: “Gestão/financiamento”, “Prevenção: redução de danos em álcool, crack e outras drogas”; “Feminização da aids e hepatites virais”; “Enfrentamento da Aids e hepatites virais na população LGBT”; “Programa Saúde nas Escolas (PSE) e Saúde e Prevenção nas Escolas(SPE)”; “Novas Tecnologias de Prevenção”; “Cuidado/Rede de Serviços”; “Transmissão vertical – hepatites e aids”; “População vulnerável – cuidados e intervenções”; “Teste rápido e diagnóstico precoce”; “Hepatites: novo modelo de assistência”.