João Pessoa
Feed de Notícias

Antonio Barros e Cecéu conquistam o Prêmio Estadual de Cultura 2010

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 - 10:40 - Fotos: 

O Prêmio Estadual de Cultura 2010 foi conquistado pelo casal de cantores e compositores Antonio Barros e Cecéu. Eles receberam do Governo da Paraíba, por escolha do Conselho Estadual de Cultura, o Certificado e um cheque no valor de vinte salários mínimos, o equivalente hoje a R$ 10.200,00. A 19ª edição da Noite da Cultura aconteceu nesta quinta-feira (9), no Cine Bangüê do Espaço Cultural, em João Pessoa. A solenidade foi seguida do Concerto de Natal da Orquestra Sinfônica da Paraíba, Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba e Coral do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), sob a regência dos maestros Marcos Arakaki e Luis Carlos Durier.

O governador José Maranhão foi representado no evento pelo secretário chefe da Casa Civil, Inaldo Leitão, que destacou a importância da Noite da Cultura: “uma homenagem que estimula, incentiva a produção artística e cultural na Paraíba. O Governo do Estado reconhece o talento dos atores culturais paraibanos e cumpre seu papel de fomentador da cultura do nosso Estado”, declarou. Na ocasião foi lançada a décima nona edição da revista Paraíba Cultural, uma publicação que presta contas das ações desenvolvidas neste campo em 2010, pelo Estado.

O secretário da Educação e Cultura do Estado, Francisco Sales Gaudêncio, afirmou que a Noite da Cultura é o reconhecimento do Governo do Estado, através do Conselho Estadual de Cultura, aos talentos paraibanos na música, na literatura, enfim, a artistas e produtores culturais paraibanos. Em breve, alguns livros serão lançados, são obras aprovadas pelo Conselho neste ano de 2010. Sales Gaudêncio revelou que a Noite da Cultura é uma forma de reconhecer a produção intelectual de paraibanos.
 
Antonio Barros, paraibano do município de Queimadas, nasceu aos 11 de março de 1930 e há muitos anos é um cidadão do mundo, considerado um dos compositores mais interpretados do Brasil. Já compôs mais de 700 músicas. O Mestre da autêntica música nordestina revelou que o Prêmio Estadual de Cultura é um reconhecimento de seu trabalho, junto com Cecéu e acrescentou que é preciso que isto ocorra para fortalecer a nossa cultura. Aos jovens, Antonio Barros recomendou que não deixem de ouvir e abraçar a verdadeira música de qualidade, dos grandes compositores nordestinos, principalmente. A campinense Cecéu (Mary Maciel Ribeiro), revelou que o repertório é imenso, música de qualidade, e o prêmio é realmente muito gratificante.

 O casal há cerca de dois anos trabalha na produção de um DVD e um livro sobre a trajetória de Antonio Barros e Cecéu. A música dos dois hoje é gravada por artistas na Itália, Espanha, Portugal, Israel, além dos inúmeros artistas brasileiros que gravaram sucessos da dupla que foi formada há 38 anos. Antonio Barros já completou 50 anos de carreira. Os dois casaram-se em 1971.

Concerto de Natal

A 19ª Noite da Cultura teve a presença de intelectuais, artistas e músicos e o público lotou o Cine Bangüê, atraídos também pelo Concerto de Natal das Orquestras Sinfônicas da Paraíba. O subsecretário estadual de Cultura, David Fernandes, avalia que o evento encerra as atividades culturais do ano promovidas pelo Governo do Estado e é uma tradição que se consolida a cada ano.
 
O presidente da Academia Paraibana de Letras, acadêmico Juarez Farias, afirmou que a premiação singular reverencia figuras da nossa cultura que muitas vezes não passa pela mídia, apesar de serem produtores de grandes obras. “A Noite da Cultura sintetiza toda a vontade paraibana de continuar evoluindo e cuidando melhor de seus documentos históricos”, disse.

A Noite da Cultura concedeu ainda o Diploma de Honra ao Mérito ao maestro Radegundis Feitosa, falecido em 1º de julho deste ano em um acidente de carro. A homenagem póstuma reconhece a contribuição do artista para o desenvolvimento da música na Paraíba. O artista plástico Murilo Santos de Almeida. natural de Patos, recebeu “Menção Honrosa”, pelo conjunto de sua obra.

Mestres das Artes

             
Por decisão do Conselho Estadual de Cultura, quatro artistas tiveram seus nomes inscritos no Registro dos Mestres das Artes – Canhoto da Paraíba (Rema/PB). Essa inscrição é pré-requisito para a obtenção da aposentadoria vitalícia, concedida pelo Estado em reconhecimento ao talento e sabedoria de personalidades paraibanas. O benefício, no valor de dois salários mínimos, é vitalício.
Receberam o título de Mestre das Artes, de acordo com a Lei Canhoto da Paraíba, o artista plástico, Elpídio Dantas; o fabricante de instrumentos musicais, José Ribeiro da Silva (conhecido como Mestre Duduta); o repentista, Oliveira Francisco de Melo (Oliveira das Panelas) e o ator Sávio Max Sobreiro Rolim. Sávio foi protagonista do filme “Menino de Engenho”, lançado em 1965. A produção foi inspirada no livro de mesmo título, escrito por José Lins do Rego.

Sobre a homenagem ao ator Sávio Rolim, sua filha Nadja Rolim, afirmou que o título de Mestre das Artes ao seu pai, transformou e devolveu a ele a dignidade perdida nos becos, ruelas, morando sob marquises e em barracos de João Pessoa. “Tudo isso mudou graças à proteção de Deus e à benevolência dos ilustres integrantes deste egrégio Conselho”, revelou Nadja Rolim, que finalizou com este agradecimento: “Senhores mestres da cultura, agradeço de coração esta homenagem e tudo o mais que vossas atitudes têm proporcionado ao meu pai, o Mestre das Artes, Sávio Rolim. Que Deus os abençoe e guarde’, concluiu.

Sinfônicas – Após a solenidade, o público assistiu ao Concerto de Natal da Orquestra Sinfônica da Paraíba, Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba e Coral do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), sob a regência dos maestros Marcos Arakaki e Luis Carlos Durier.

Josélio Carneiro, com fotos de Ernane Gomes, da Secom-PB