João Pessoa
Feed de Notícias

Ano Novo começa movimentado no Hospital Regional

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 - 15:42 - Fotos: 
O ano de 2010 começou muito movimentado no Hospital Regional de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande. Somente no dia 1º de janeiro, e no sábado, dia 2, mais de 600 pessoas foram atendidas na unidade hospitalar. A maioria dos atendimentos foi na parte de ambulatório. Na tarde de sábado, por exemplo, o Hospital estava superlotado, com dezenas de pessoas procurando atendimento médico nos clínicos e nos pediatras de plantão.

O balanço divulgado pelo Hospital Regional revela que 2009 terminou com atendimentos recordes. O ano novo também começou movimentado. Mais uma vez, os casos de tiros, facadas, espancamentos, acidentes de motos lideraram as estatísticas. No último dia de 2009, quatro pessoas deram entrada no setor de emergência vítimas de acidentes de motos, faltado poucas horas para o ano novo chegar. E não foi só.  
Praticamente na virada do ano, uma moça de 21 anos chegou no Hospital gravemente ferida. Ela foi atingida por um tiro de revolver na cabeça disparado pelo namorado, e não resistiu vindo a óbito. Horas antes, um rapaz de 20 anos chegou no hospital ferido a golpes de faca peixeira.

A virada do ano foi de muito trabalho. Os médicos, enfermeiros, técnicos de enfemagens, e demais profissionais de plantão, tiveram uma madrugada corrida. Entre meia noite e cinco da manhã, mais de 20 pessoas deram entrada no setor de emergência e começaram o ano novo no centro cirúrgico do Hospital Regional.

Nas primeiras horas de 2010, precisamente a 1h, ainda com a população comemorando a chegada do ano novo, um rapaz de Taperoá foi atingido com uma facada no peito e começou o ano internado no Hospital Regional. As 2h do dia 1º,  um homem de 35 anos, morador da Liberdade chegou na emergência ferido com três facadas. As 3h40 a equipe foi novamente mobilizada, desta vez para atender um paciente do que foi atingido com um tiro no abdomem. Amanhecia quando outras pessoas deram entrada no Hospital Regional. As 4h20 com o dia já raiando, um rapaz de 26 anos chegou ferido no hospital. Ele foi vítima de dois tiros efetuados em frente de sua residência.

O dia 1º começou movimentado. As 9h um rapaz de 21 anos foi socorrido para o hospital, após ser ferido com uma facada nas costas aplicada pela cunhada. Garrafadas no braço, cortes na cabeça, espancamentos, acidentes de motos. Assim, foi a primeira sexta-feira de janeiro no Hospital Regional. Durante todo o dia entrando pela noite e madrugada a equipe de plantão foi mobilizada várias vezes para atender a população.

Às 16h30, por exemplo, um rapaz foi ferido a facadas e terminou o primeiro dia do ano novo no setor de emergência do Hospital Regional. As 18h do dia 1º um homem ferido com garrafada também deu entrada no hospital, onde recebeu atendimento. Quase no mesmo horário, um rapaz de 27 anos tentou suicídio cortando os pulsos, foi socorrido para o hospital.

Neste sábado, o dia também foi movimentado. Como se não bastasse a grande procura pelos clínicos de plantão, os ortopedistas foram acionados diversas vezes. As 12h43 deste dia 2 de janeiro, um agricultor residente em Cubati chegou no hospital gravemente ferido. Ele foi atingido por seis tiros durante assalto. Três pessoas também foram feridas a facadas e tiveram que se submeter a intervenção cirúrgica.

Por conta do feriado de Ano Novo, um esquema especial foi montado no Hospital Regional para garantir o total atendimento a população. Durante todo este  final de semana, dois clínicos, dois pediatras, dois ortopedistas e dois cirurgiões estão de plantão 24h. Alem dos chamados médicos da linha de frente preparados para atender os casos de urgência e emergência, todos os médicos de 18 especialidades ficaram de sobreaviso.             

Referência em todo Estado, o Hospital Regional é o único a possuir todas as especialidades, assistindo os pacientes do Serviço Único de Saúde. O Hospital, mantido pelo governo do Estado através da Secretaria de Saúde, funciona com médicos de plantão por 24h. Por dia são atendidas em média 300 pessoas de Campina Grande e mais 170 municípios do Compartimento da Borborema. O atendimento mensal ultrapassa as 10 mil pessoas. Somente este ano, entre janeiro e novembro, mais de 100 mil pessoas já foram atendidas no Hospital Regional, a maioria no ambulatório.

Criado há 9 anos pelo governador José Maranhão, o Hospital Regional tem como missão fazer o atendimento de urgência e emergência. Nos últimos 9 meses, o Hospital passou por uma série de mudanças implantadas pela nova diretoria como forma de melhorar a assistência a população.

Assessoria de Imprensa