Fale Conosco

26 de fevereiro de 2015

Alunos do Prima recebem doação do violonista Fábio Zanon



Os alunos do Projeto de Inclusão Social através da Música e das Artes (Prima), do Polo do Alto do Mateus, em João Pessoa, foram contemplados, nessa quarta-feira (25), com a doação de um violão feita por Fábio Zanon, um dos violonistas mais importantes da música erudita brasileira contemporânea. O instrumento, confeccionado dentro de padrões ecologicamente recomendados, será usado por alunos e professores durante as aulas no polo.

O maestro Alex Klein, gestor do Prima, afirmou que a doação de Fábio Zanon representa a importância que o projeto tem adquirido para a cultura não apenas do Estado, mas também do Brasil. “A ação do Fábio Zanon tem um valor simbólico, difícil de ser calculado. Isso, definitivamente, mostra que o Prima tem alcançado de forma mais que satisfatória o seu objetivo, que é o da inclusão. Por outro lado, mostra que estamos, com esse projeto, nascido há tão pouco tempo, auxiliando no nascimento de novos talentos, fortalecendo o movimento da música erudita no Estado e no País”, destacou.

Para o coordenador do polo do Alto do Mateus, Marcelo Lucena, a chegada do violão significa a abertura de espaço para novas oportunidades. “É uma doação que, para nós, tem uma importância prática bem significativa. Com esse instrumento, vamos poder atender a um número de alunos ainda maior”, disse. “É um instrumento da mais alta qualidade, feito dentro de padrões ecologicamente recomendados. Não há dúvidas de que, tanto pelo ato de generosidade do músico [Fábio Zanon], quanto pela qualidade do violão, vamos desenvolver uma relação de muito afeto”, ressaltou.

Fábio Zanon – Fábio Zanon é considerado um dos violonistas mais importantes da música erudita brasileira contemporânea. Nascido em Jundiaí, interior de São Paulo, começou a estudar violão sob a orientação do pai. Graduou-se em Música na Universidade de São Paulo em 1987. Em 1990, deu continuação aos estudos de Música na Royal Academy of Music, em Londres, onde obteve o mestrado em Música pela Universidade de Londres.

Fábio Zanon foi vencedor do 30º concurso “Francisco Tárrega” e do 14º Concurso da Fundação Americana de Violão. Em 1997, recebeu o Prêmio Moinho Santista e recebeu o título de Associate da Royal Academy of Music, em Londres, onde também atua como professor visitante.O músico esteve em João Pessoa há dois anos, quando conheceu o projeto Prima.

Inscrições do Prima – As inscrições do Prima serão abertas em março. A expectativa é que sejam inscritos mais 500 alunos. Atualmente, o projeto conta com 1,5 mil alunos, distribuídos em 12 polos. Entre as cidades contempladas, além de João Pessoa, estão Patos, Itaporanga e Cajazeiras, no Sertão do Estado, e Guarabira, no Brejo. Há polos do Prima ainda em Campina Grande, Agreste paraibano, e em cidades como Bayeux e Santa Rita, Região Metropolitana da Capital.

Para fazer a inscrição, o aluno deve procurar a coordenação do Prima de cada escola em que é realizado o projeto.  Alex Klein lembra que alunos da rede pública, seja municipal ou estadual, não precisam ter instrumento. “O Prima, como projeto de inclusão social, está de portas abertas aos alunos da rede privada também. No entanto, é necessário que eles tenham instrumento”, pontuou. As inscrições vão até o dia 30 de março.

 

Novidades -Segundo o maestro Alex Klein, uma das novidades do Prima para este ano é com relação ao número de apresentações. Em 2014, foram realizadas 123 apresentações. Este ano, a expectativa é que sejam realizados cerca de 250 concertos, mais que o dobro. “O Prima é um projeto que, a cada dia, vem se expandindo, aumentando o número de talentos. O resultado dessa expansão é a ampliação no número de atividades, de forma a beneficiar ainda mais a comunidade com um espetáculo da melhor qualidade”, disse. “É uma forma de premiarmos a sociedade por ter aceitado o Prima de maneira tão espetacular. É motivador ver tanta emoção nos olhos dessas pessoas a cada apresentação”, acrescentou.

Outra novidade é que serão criados corais e bandas sinfônicas nos polos. “O nosso grande passo foi capacitar os alunos do Prima. Com essa capacitação, e com a compra de instrumentos feita pelo Governo do Estado, podemos superar o desafio de desenvolver cada polo do Prima de maneira igualitária, o que será permitido com a criação de corais e bandas sinfônicas”, destacou Alex Klein.

Grandes concertos – A exemplo do que aconteceu em dezembro, quando mais de 400 alunos se apresentaram no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, as cidades que receberão os dois grandes encontros deste ano já estão definidas. Serão contempladas Patos, no Sertão da Paraíba, e Campina Grande. A realização do concerto está prevista para maio e dezembro, respectivamente. “O número de participantes será equivalente, com o grande diferencial que haverá uma maior participação dos alunos do Sertão, outra maneira de promovermos o crescimento do Prima de forma igualitária, esteja o polo em João Pessoa ou em cidades mais distantes”, frisou.

Repertório - Se no encontro de dezembro, no Espaço Cultural, o glamour ficou por conta da apresentação da cantata Carmina Burana, de Carl Orff, em maio e em dezembro será a vez da Fantasia Coral de Beethoven. “Assim como Carmina Burana, a apresentação desta obra, certamente, irá emocionar o público. A Fantasia Coral de Beethoven tem a peculiaridade de exigir solistas da mais alta capacidade. Não temos dúvidas de que essa característica já se faz presente nos alunos do Prima e será lapidada durante os ensaios que teremos ao longo do ano”, afirmou Alex Klein.

Prima - Implantado pelo Governo do Estado em 2012, o Prima tem polos em João Pessoa (Alto do Mateus, Mandacaru e Bairro dos Novais), Cabedelo, Bayeux, Santa Rita, Campina Grande, Guarabira, Patos, Cajazeiras, Catolé do Rocha e Itaporanga.