Fale Conosco

13 de fevereiro de 2013

Alunos de Psicologia da UFCG visitam presídio em Campina Grande



Uma turma de alunos de Psicologia da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) fez uma visita à Penitenciária Regional de Campina Grande Raymundo Asfora (Serrotão). A presença dos estudantes no presídio faz parte da programação da grade curricular do curso e foi supervisionada pela psicóloga Mirna Agra Maracajá, professora da turma.

Mirna Maracajá explicou que o objetivo da visita é levar os alunos a conhecerem a prática do profissional de psicologia em várias instituições. “Como esses alunos são da minha disciplina, que é Psicologia Jurídica, então nós escolhemos o presídio para fazer essa visita”, disse a professora.

Durante a atividade, os estudantes conheceram o funcionamento da dinâmica do presídio. Na opinião do estudante Ricard José, a atividade acadêmica mudou a visão que ele tinha sobre o sistema prisional na Paraíba. “É a primeira vez que eu entro num presídio e vejo que aqui a realidade é um pouco diferente do que eu pensava. Alguns apenados têm a oportunidade de realizar atividades fora das celas, eles de fato trabalham, e a gente sempre pensa que presídio é um lugar onde as pessoas ficam sempre reclusas, sem se locomoverem”, disse o estudante.

De acordo com o Secretário de Estado da Administração Penitenciária, Walber Virgolino, atividades a exemplo destas realizadas pelos alunos desmistificam a imagem que a população têm das unidades penais.

Atividades na penitenciária – O presídio Serrotão conta com uma população carcerária de 620 apenados. Destes, em torno de 70, exercem alguma atividade laboral, entre serviços de cozinha, limpeza, padaria, horticultura e artesanato.

“Até a produção de sabão e detergentes é feita por detentos da casa, e os produtos são utilizados pelas três unidades prisionais que compõem o Complexo Penitenciário do Serrotão”, informou o secretário.