Fale Conosco

17 de março de 2010

Alunos de escola municipal fazem visita ao Hospital de Trauma de João Pessoa



Cerca de 40 alunos da Escola Municipal Almirante Barroso, localizada no Bairro Funcionários I, em João Pesooa, estiveram visitando na tarde desta quarta-feira (17) o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena (HETSHL). A atividade extra-classe faz parte do Projeto Educanvida, iniciativa dos ministérios da Educação (MEC) e Saúde (MS) desenvolvida em várias escolas do Brasil.

Assim que chegaram ao hospital, os alunos foram para o Auditório Jussara Dantas onde assistiram duas palestras. Na primeira, ministrada pela assistente social Iara Leite, foi abordada a importância da doação de sangue. Na ocasião, os alunos dos 6°, 7° e 8° anos tiveram a oportunidade de tirar dúvidas sobre o assunto, saber inclusive o quanto é solidário doar sangue. No final da explanação, todos receberam um folder como o título ‘Doe sangue, salve vida’, confeccionado pela equipe do Serviço Social do hospital, esclarecendo as principais dúvidas sobre a doação.

Em seguida, a turma participou de uma outra palestra e dessa vez foi trabalhado o tema violência. A psicóloga Leina Guerra falou sobre os tipos de violência (urbana, doméstica, aquela cometida contra mulheres, idosos e crianças), no trânsito e finalizou abordando problemas na escola, onde se caracteriza o bullying. Ela alertou para a importância do conceito de cultura de paz na sociedade e utilizou dados estatísticos para explicar os assuntos. Todos os alunos receberam um certificado de participação das palestras.

Aplicação do aprendizado – A diretora geral da escola, Maria da Penha Araújo, agradeceu o acolhimento que o Hospital de Emergência e Trauma deu a instituição de ensino, e destacou a importância da união da saúde e educação. “A idéia de visitar o hospital surgiu com o desenvolvimento das atividades realizadas no âmbito do projeto dos ministérios da Saúde e Educação. Os dois assuntos caminham juntos e as atividades extra-classe estimulam o aprendizado dos alunos. Ao retornar para a escola, os professores vão aplicar atividades pedagógicas com as turmas, com base no que foi conservado aqui hoje. Em casa e na comunidades eles vão servir como agentes multiplicadores. Os alunos também vão fazer um relatório para ser enviado aos ministérios falando da experiência”, informou Maria da Penha.

Agendamento de visitas – De acordo com Lisieux Andrade, chefe do Núcleo de Ações Estratégicas da unidade hospitalar, a Escola Almirante Barroso foi a primeira a visitar o órgão com o objetivo pedagógico e que a unidade está aberta a visitas de outras instituições de ensino.

“Sempre que formos solicitados estaremos dispostos a ministrar palestras educativas para a população. Para as escolas interessadas em nos visitar, basta ligar para o Serviço Social no telefone 3216-5762 e agendar um dia, lembrando que as turmas devem ter no máximo 50 alunos”, frisou.

Avaliação – Gabriele dos Santos, aluna do 6° ano do período da manhã, disse que aprendeu muito com as palestras. “Gostei muito de tudo o que eu aprendi hoje aqui. Quando eu chegar em casa, vou dizer a minha mãe o quanto podemos ajudar as pessoas doando sangue”, disse a estudante. Entusiasmada também estava Estefany Silva, de 10 anos, aluna do 7° ano. “Adorei tudo. Esta é a primeira vez que venho a um hospital sem estar doente. Quando crescer, sonho em ser médica”, planeja a aluna.

Após as palestras, o grupo conheceu a parte administrativa do hospital e, em seguida, se confraternizou em um lanche oferecido no refeitório dos funcionários reformado recentemente. Fizeram parte da comitiva da escola a assistente social Cristiane Abath Borges e a professora de Geografia, Elizete Gonçalves Venâncio.

Da Assessoria de Imprensa do Hospital de Emergência e Trauma de JP