João Pessoa
Feed de Notícias

Alunos da UEPB lançam quarta edição da revista digital ‘Blecaute’

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010 - 18:23 - Fotos: 

Amante da literatura, um grupo formado por jovens escritores – alguns conhecidos, outros nem tanto – não encontrava em Campina Grande um espaço que propiciasse a exposição das idéias e produções literárias. Encorajados pelo mesmo ideal, os jovens enxergaram uma luz no fim do túnel e, com baixo orçamento e muita criatividade, conquistaram uma oportunidade com a produção da ‘Blecaute’, uma revista em formato PDF, enviada para inúmeros contatos, através de e-mails.

E essa mesma revista chega agora a sua quarta edição. O objetivo da revista digital de Literatura e Artes é divulgar a produção literária e artística de novos autores e artistas paraibanos, assim como de agentes de outros Estados do Nordeste, do Brasil e membros dos países lusófonos, que interajam de algum modo com a literatura atualmente produzida no Estado da Paraíba.

O download da revista é rápido e os editores desejam que a divulgação seja feita através do repasse da edição pelos contatos dos emails de cada um, ajudando na propagação da produção literária.

Sobre a revista – Todos os membros do grupo são alunos da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB): Bruno Gaudêncio, graduado em Jornalismo e aluno de História; Janailson Macedo, graduando de História; e João Matias, aluno de Jornalismo. Segundo João Matias, a publicação surgiu no fim de 2007, com os outros dois editores, e ele próprio veio depois se juntar ao grupo. A periodicidade da revista é trimestral, com colunistas fixos, porém sempre com novos conteúdos de colaboradores diversos, selecionados pelos editores.

O nome da revista não foi escolhido ao acaso. Para os editores, há uma sensação de “apagão literário” na região Nordeste, e até mesmo no Brasil, onde muitos autores possuem produções de qualidade, mas não têm oportunidade de expressar sua capacidade inventiva e criativa. “Apesar de existir muita gente produzindo, há uma sensação de vazio, como se elas estivessem escondidas e, assim, grandes potenciais deixam de ser revelados. Por isso procuramos ser uma alternativa em meio a essa escuridão literária”, explica Janailson Macedo.

Da Assessoria de Imprensa da UEPB