João Pessoa
Feed de Notícias

Alunos de Escola Estadual apresentam projeto com material reciclável

segunda-feira, 29 de julho de 2013 - 16:32 - Fotos:  Diego Nóbrega

Um desfile de roupas feitas com material reciclado, uma apresentação de dança e a leitura de poemas, além da exposição de maquetes, cartazes, pinturas e de um vídeo sobre poluição sonora. Este foi o resultado de um trabalho realizado pelos alunos da Escola Estadual Epitácio Pessoa, localizado no bairro do Tambiá, em João Pessoa, apresentado nesta segunda-feira (29). Aproximadamente 500 estudantes, do 1º ao 5º ano dos turnos da manhã e da tarde da unidade escolar, participaram das apresentações que integram o projeto “O ser humano e os letramentos: uma questão de Direitos Humanos”, realizado pelo estabelecimento de ensino.

O projeto, segundo explicou a vice-diretora Josane Maria Vieira, auxilia no combate às dificuldades na oralidade, leitura e escrita através de temas trabalhados bimestralmente com os alunos. “No primeiro dia de aula, nos reunimos com toda a equipe da escola e com os pais e, baseados no ano anterior, vimos o que precisava ser melhorado. A questão da leitura ficou um pouco defasada, por isso surgiu a ideia do letramento. Dentro desse projeto, a gente trata das questões ambientais, culturais, de identidade e solidariedade. No primeiro bimestre, trabalhamos o tema Identidade e Cidadania, no segundo o Meio Ambiente, no terceiro vamos trabalhar as questões culturais e, no quarto, as questões de convivência, a exemplo da cultura da paz. Cada série tem o seu grau de dificuldade”, afirmou.

A gestora também afirmou que o foco do projeto é o aluno. “Queremos tratar o aluno como cidadão, mostrando que ele tem identidade, direitos, como direito a leitura, a arte, a brincar e a educação. Então, a ideia central do projeto é preparar o aluno para que ele possa ler o mundo de uma forma crítica”, salientou.

Meio Ambiente – Para conhecer mais sobre a questão ambiental, os alunos participaram de oficinas de reciclagem coordenadas pela orientadora educacional Josineide de Sales Pontes. “Ela foi à responsável pela confecção das roupas recicladas junto com os alunos. A gente usou muito da criatividade do aluno, deixou ele se expandir. A idéia da roupa foi justamente fazer um desfile pensando no que é que a gente pode aproveitar do lixo. Todas as séries participaram do desfile”, explicou Josane Vieira. Para confeccionar as roupas, os alunos reaproveitaram materiais como tampas de garrafa, sacos de lixo, caixas de papelão, jornais, revistas, sacos de cebola, cds e cartões telefônicos.

Durante a realização das oficinas de reciclagem e confecção das roupas para o desfile, os professores avaliaram as habilidades de cada aluno. “Vimos quem poderia desfilar, quem poderia explicar na exposição dos trabalhos, então, deixamos isso muito livre. Focamos a questão do respeito e da valorização do aluno”, disse a gestora. “Eles amaram o projeto. Os alunos do 5º se empolgaram tanto que fizeram um vídeo sobre a poluição sonora. Eles foram até a Lagoa para detectar o grau de barulho feito pelas pessoas e carros. Também fizeram gravações aqui na escola durante o intervalo e quando estava vazio, mostrando o quanto o barulho pode ser prejudicial para a audição”, acrescentou.

Alunos aprovam projeto – A estudante Layanne Nascimento, do 3º ano, foi uma das modelos que desfilou com uma roupa feita totalmente de jornal. “Eu gostei do desfile, mas o que gostei mais foi de reciclar garrafas pet e jornais. Aprendi que não podemos jogar lixo no chão porque polui”, afirmou. O estudante Raylson Mendes, do 3º ano, comentou que aprendeu bastante sobre coleta seletiva. “Gostei de reciclar o lixo. Assim, o meio ambiente fica mais saudável. Fiz minha roupa e aprendi muito sobre coleta seletiva”, disse.

O aluno Ricardo da Costa, do 5º ano, ajudou a produzir o vídeo sobre poluição sonora. “Aprendi muitas coisas sobre o meio ambiente. Aprendi que não se deve desmatar nem fazer maldade com o meio ambiente. A gente fez também um vídeo na Lagoa e foi muito legal”, afirmou. O colega de classe, Rian da Costa, afirmou também ter gostado de fazer o vídeo. “Ele mostrou que é importante não fazer muito barulho e cuidar do meio ambiente”, disse.