João Pessoa
Feed de Notícias

Histórico

Contextualização da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido (SEAFDS)

 

 

Estamos todos vulneráveis, do cidadão ao Planeta. A natureza do modo de produção e consumo da sociedade industrial não está em sintonina com os limites da vida na Terra; a fumaça das chaminés das fábricas industriais, antes o símbolo máximo da época histórica do industrialismo, agora é condenada como um dos símbolos de contaminação. Por isso, os países mais industrializados, auto denomina dos “desenvolvidos”, também estão em crise. Trata-se de uma crise civilizatória que ameaça a existência de todas as formas e modos de vida em todos os contaminantes, inclusive no Brasil. Portanto, a Paraíba não é imune aos impactos e consequências da referida crise global.

 

Porém, uma crise tanto gera rupturas como emergências paradigmáticas. Se, por um lado, está em crise o paradigma clássico da industrialização, que penetrou também a agricultura mundial durante a chamada Revolução Verde, que privilegiou o paradigma químico, estão emergindo outras opções paradidáticas inclusive para a agricultura, como Agroecologia, uma ciência emergente que reconhece a interdependência entre todas as formas e modos de vida em qualquer território e, por isso, promove o cuidado e o cultivo das relações, significados e práticas que geram a vida, sustentam a vida e dão sentido à vida humana  não humana.  Nenhuma espécie pode dar-se ao luxo de eliminar as demais e continuar existindo. Como diz Oliveira de Panelas, o maior poeta-repentista do Brasil, a longo prazo, “ou se salva todos ou não escapa ninguém”.

 

Na Paraíba, a agricultura familiar e a região semiárida encontram na SEAFDS seu espaço e energia institucionais, a SEAFDS emerge para promover principalmente a transição agroecológica na agricultura familiar, para sua sustentabilidade dos modos de vida que coexistem em seus múltiplos territórios rurais.

 

A SEAFDS iniciou um processo formativo e interativo de planejamento estratégico para construir de forma negociada uma nova compreensão e um novo compromisso em torno de seu mandato voltado para a agricultura familiar e o desenvolvimento do semiárido.  As primeiras reflexões e formulações já revelaram vários desafios do contexto paraibano para o mandato da SEAFDS e, portanto vários elementos de referência para inspirar sua missão, objetivos estratégicos e ações prioritárias. Como consequência, também emergem indicações de quais instituições e parceiros serão imprescindíveis para o cumprimento do mandato da SEAFDS. Por exemplo, já está claro que além do Cooperar e o Procase, a Emater, Interpa e o CEDRS são imprescindíveis para o sucesso da implantação do mandato desta secretaria e, por isso, necessitam estar a ela vinculados.

 

Considerando que algumas ações de políticas de conivência com o semiárido estão hoje presentes na SEDH, faz-se urgente abrir um diálogo para que a execução das referidas ações seja efetuada pela SEAFDS. Por fim, emerge também a necessidade de uma acordo de cooperação técnica entre a SEAFDS e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), como instrumentos estratégicos para a consolidação de sua missão institucional.

 

 

Rua Benjamim Constant, 146. Estação Velha – CEP: 58.105-195

Campina Grande/PB – Fone: (083) 33109450 – Fax: (083) 33109448