Fale Conosco

22 de abril de 2015

Agricultores orientados pelo governo aumentam renda produzindo hortaliças



A produção de hortaliças com irrigação está sendo comercializada ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), se constituído numa alternativa para o aumento de renda de famílias do Sertão, a exemplo do que acontece com cinco agricultores familiares do município de Joca Claudino, assessorados pela Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa, vinculada à Secretaria de Estado da Agropecuária e Pesca, por meio da Unidade Local, com acompanhamento do escritório regional da Emater em Sousa.

São quatro agricultores familiares que comercializam mensalmente mais de 1.300 quilos de hortaliças trabalhadas no processo de transição agroecológica. Numa das visitas à Unidade Familiar de Produção, do agricultor Valdecir Borges, no Sítio Montanhas, em Joca Claudino, os extensionistas Fábio Pereira e Geraldo João do escritório local verificaram o andamento dos trabalhos. Eles estavam acompanhados do secretário da Agricultura e Meio Ambiente do município, Messias Júnior. A hortaliça passou a ser uma das principais atividades econômicas na região.

Este mercado representa uma excelente alternativa para conciliar os objetivos de viabilizar a melhoria das condições de reprodução social na agricultura familiar, promover ações estratégicas de desenvolvimento rural voltada à valorização dos modos de vida tradicionais, bem como produzir alimentos de qualidade em sistemas sustentáveis de produção. “A implementação bem-sucedida dos programas e políticas públicas requer qualificação maior da atuação das organizações econômicas da agricultura familiar, no apoio à produção e à comercialização”, comentou o secretário de Agricultura do Município, Messias Júnior.

Por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), os alimentos produzidos pela agricultura familiar são comprados e doados a escolas públicas, creches, asilos e instituições assistenciais.

As atribuições da Emater-PB no programa são bem amplas e abrangem desde a assistência técnica, mobilização de agricultores, emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), orientação e elaboração de projetos até capacitação dos agricultores em boas práticas de produção.

Agricultores atendidos – Joaci Borges da Silva, residente no sítio Montanhas, trabalha em 0,36 hectares com hortaliças, tendo uma produção mensal de 300 quilos, no sistema de sequeiro e uma renda mensal de R$ 1.200,00, sem financiamento.

Mario Borges da Silva, também residente no sítio Montanhas, numa área de 0,3 hectares, colhe 330 quilos todos os meses e fatura R$ 1.500,00, igualmente sem financiamento bancário, e trabalha no sistema de sequeiro.

Também numa área de 0,28 hectares, o agricultor familiar Edvaldo Borges da Silva, residente no mesmo sítio, tem uma colheita de 310 quilos de hortaliças produzidas em sistema de sequeiro, trabalha sem financiamento e tem uma renda mensal de R$ 1.300,00.

Já a agricultora Gicelia Borges da Silva, também residente no sítio Montanhas, tem financiamento que serviu para aquisição de um conjunto de irrigação do plantio da hortaliça, trabalha em 0,3 hectares, colhe 280 quilos mensalmente e fatura R$ 1.300,00. Até pouco tempo trabalhava no sistema de agricultura de sequeiro.