Fale Conosco

22 de fevereiro de 2012

Agricultores familiares serão beneficiados com pesquisas da Emepa



Cerca de R$ 800 mil serão aplicados em pesquisas para a expansão e o fortalecimento da cajucultura, a melhoria da qualidade genética dos rebanhos e a validação de tecnologias para a produção familiar de inhame, mandioca e batata-doce. Também haverá investimento na propagação in vitro do umbu, fruta de reconhecida importância sócio-econômica na região do Cariri paraibano.

Os recursos, de acordo com o presidente da Emepa, Manoel Duré, são oriundos do convênio entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária (Emepa). Com esse investimento, serão beneficiados cerca de 960 agricultores familiares na Paraíba. “Aplicaremos os recursos na melhoria da produtividade e da eficiência econômica de produtos pecuários explorados por agricultores de base familiar”, disse.

Ele declarou que a agricultura familiar, além de produzir alimento e matéria-prima, gera mais de 80% da ocupação do setor rural, favorecendo o emprego de práticas produtivas ecologicamente mais equilibradas, como a diversificação de cultivos e criações, o menor uso de insumos industriais e a preservação do patrimônio genético. “Um exemplo disso é a cajucultura praticada no Sertão, considerada uma das principais atividades da população rural da região. Cultivada por pequenos produtores, a produção acontece na época seca do ano, justamente no período de entressafra, ocupando mais de 40 mil pessoas no campo e cerca de 15 mil na indústria”, informou.

Só nessa área, segundo ele, serão beneficiados 80 produtores da comunidade Tauá, no município de Teixeira, que usam a propriedade permanentemente e contam com a cultura de caju como sua principal fonte de renda.

Melhoria genética – Com relação ao melhoramento genético dos rebanhos, a Emepa irá beneficiar 100 criadores de base familiar produtores de leite de Aroeira, Gado Bravo, Santa Cecília e Umbuzeiro. A técnica utilizada será a de inseminação artificial com a utilização de material (sêmen) fornecido pela Emepa, coletado de reprodutores de genética superior das raças Gir, Guzerá e Sind. O trabalho tem o objetivo de elevar o potencial genético dos animais, tendo em vista que um dos aspectos da pecuária leiteira na agricultura familiar é o baixo potencial do seu rebanho.

Produtividade – No segmento inhame, mandioca e batata-doce, serão instaladas unidades demonstrativas dessas culturas. O objetivo é validar e disponibilizar tecnologias agroecológicas para a produção familiar, priorizando a melhoria dos sistemas de produção, o aumento da produtividade, a geração de emprego e renda e a preservação ambiental. Essa atividade beneficiará diretamente 600 produtores de base familiar e 30 técnicos da extensão rural nos municípios de Sapé, Mari, Alagoinha e Cuitegi.

As pesquisas com o umbu serão desenvolvidas no laboratório de cultura de tecidos na Estação Experimental de Mangabeira. O objetivo do trabalho é acelerar a reprodução do umbuzeiro, cuja propagação é feita normalmente por semente (caroço), com uma germinação muito lenta, dificultando a produção de mudas.