Fale Conosco

27 de março de 2013

Agricultores destacam ações que geram renda no Cariri Paraibano



Agricultores familiares de 17 municípios do Cariri Ocidental se reuniram na Escola Agrotécnica Deputado Evaldo Gonçalves, em Sumé, com técnicos da Emater para uma avaliação final da Chamada Pública e discutir as ações do Plano Brasil Sem Miséria que contemplam famílias agricultoras da região. Na ocasião, foi anunciada a distribuição de 20 mil raquetes de palma forrageira entre os criadores. A iniciativa é do Governo do Estado.

O coordenador de Operações da Emater, Jailson Lopes, presente ao evento, destacou o trabalho realizado na região que permitiu avanços na elaboração de políticas públicas de inclusão social.  A coordenadora da Chamada Pública no Cariri Ocidental, Karina Queiroz, disse que todo o trabalho estava focado na organização da produção de caprino e ovino para atender ao mercado, a partir de um diagnóstico realizado.

O evento foi organizado pela coordenação das Chamadas Públicas no Cariri Ocidental e o escritório regional da Emater em Serra Branca, com o apoio do Núcleo de Comunicação e Metodologia e também do Núcleo de Extensão Social. O evento contou com uma representação de 180 agricultores familiares de diferentes atividades agrícolas que recebem assessoramento da extensão rural.

Também durante o evento foi debatido o trabalho financiado pelo Plano Brasil sem Miséria, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, que permite a implantação de projetos de inclusão social, com destaque para a criação de caprinos e frango de capoeira, como é o caso da agricultora Lúcia de Fátima Pereira Feitosa, do Sítio Serrote do Gato, em Serra Branca. “Não quero mais deixar de criar galinhas, que tem me dado uma renda”, disse.

Muitos aproveitaram para agradecer pelo trabalho que a Emater realiza no campo, dando condições de executarem suas atividades e, com isso, criar condições para ter renda. “Com a Chamada Pública os agricultores passaram a contar com a presença constante dos técnicos da Emater que continuam indo ao local de trabalho, orientando na condução das ações geradoras de inclusão social”, afirmou o criador de cabras Erivaldo Ferreira, do Sítio Exu, em Prata. Ele tem um criatório de 17 caprinos leiteiros e fornece leite ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Já o criador José Gouveia, do Sítio Jaramataí, em Parari, que fornece leite para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e recebe assessoramento da Emater, falou dos trabalhos de aproveitamento dos recursos da caatinga para alimentar seus animais, sempre buscando preservar o que existe na região. “Orientados pela Emater, fazemos o manejo correto da caatinga, aproveitado o que é produzido na região na produção de feno, além de produzir maniçoba para alimentar os caprinos, com redução de 30% de custos por cabra”, afirmou.

Para o coordenador regional da Emater em Serra Branca, Antônio Alberto, as ações empreendidas pela Emater têm contribuído para, gradativamente, mudar a região. “A partir das Chamadas Públicas, a Emater está cada vez mais perto do agricultor familiar e com isso multiplica por quatro vezes a produção familiar, o que era impossível, até pouco tempo”, comentou.