Fale Conosco

30 de novembro de 2011

Agricultores de Tacima aumentam renda com algodão agroecológico



O algodão agroecológico, produzido seguindo orientações técnicas da Emater Paraíba, tem garantido uma renda extra para agricultores familiares em várias regiões do Estado. Um bom exemplo vem do município de Tacima, onde Maria das Dores Gomes do Vale, Suzani André de Sousa e José de Arimatéia Ferreira, todos do Assentamento Rural Fazenda Boa Esperança, estão satisfeitos com o sucesso da colheita da presente safra.

Trabalhando com outras culturas, e estimulados pelos extensionistas da Emater em Tacima, este grupo de agricultores decidiu plantar algodão agroecológico, recebendo assistência técnica desde o preparo da área até a colheita, além de orientação para a comercialização, pela Coopnatural, de Campina Grande. Segundo os agricultores, o empreendimento já apresenta resultado econômico e ecológico satisfatório.

A área plantada é de 1,4 hectares, consorciados com girassol, que também teve uma boa produtividade – o espaçamento utilizado permitiu o controle do bicudo. O extensionista rural Bilac Soares de Oliveira, que acompanhou os agricultores, disse que algumas pragas surgidas foram controladas com o uso de manipueira, líquido venenoso extraído da mandioca ralada.

A Coopnatural comprou a produção do algodão agroecológico a R$ 6, o quilo em pluma, ficando as sementes para o agricultor. Já o algodão em rama foi comercializado a R$ 2,40 o quilo – e, neste caso, cada produtor ficou com20 kgde sementes por hectare, para o cultivo do próximo ano.

Alguns parceiros, como Embrapa, Prefeitura Municipal de Tacima e a Coopnatural, se integraram ao projeto coordenado pela Emater, empresa vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap).