Fale Conosco

24 de novembro de 2017

Agricultoras de Itabaiana vão fabricar doces e bolos caseiros em assentamento



Um grupo de sete mulheres agricultoras do Assentamento Almir Muniz, em Itabaiana, no Vale do Paraíba, recebeu orientações da Emater-PB para a construção de uma cozinha comunitária para fabricação de bolos e doces caseiros. O objetivo é que elas possam comercializar aos programas de compras governamentais e no mercado local.

Na quinta-feira, dia 23, os assessores estaduais de Agroindústria Genival Soares e Ehremberg Pereira Melo e o técnico Fábio Sousa, do escritório da Emater em São Miguel de Taipu, na companhia do diretor de Agricultura da Prefeitura Municipal de Itabaiana, Sousa Filho, estiveram no assentamento para conhecer e formalizar o projeto, ficando definido que a partir de agora estes farão o acompanhamento para a implantação do projeto.

Os técnicos constataram no assentamento que a comercialização representa um grande entrave ao desenvolvimento da agricultura familiar local, ficando os agricultores sempre na dependência de terceiros para intermediar a venda de seus produtos, comentou a agricultora Claudijanes da Silva Dias, integrante do grupo de mulheres que a partir de agora conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, e da Prefeitura Municipal de Itabaiana para implantar o projeto de beneficiamento da produção agrícola local.

O prefeito Lucio Flávio de Araujo Costa, já se comprometeu em adquirir a produção para distribuição entre a rede escolar e hospitalar do município.

“O desenvolvimento sustentável da agricultura familiar busca soluções e alternativas para atender aos interesses da população, sempre procurando valorizar o espaço rural e sua cultura”, lembra Fábio Sousa, técnico em Cooperativismo que, junto com extensionistas da Emater de Itabaiana, sob a coordenação de Paulo Emilio, coordenador regional da empresa de extensão rural em Itabaiana, acompanhará este grupo de agricultoras.

A unidade agroindustrial vai beneficiar, inicialmente, a fabricação de bolos e doces, com a utilização de produtos agrícolas trabalhados no próprio assentamento.