Fale Conosco

4 de março de 2016

Agricultor de Gurinhém obtém certificado para produção de polpas de frutas



O projeto da unidade de beneficiamento de polpas de frutas que começou a ser implantado há três anos na Comunidade Nossa Senhora Aparecida, no município de Gurinhém, no Agreste paraibano, obteve o selo do Serviço de Inspeção Fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A unidade, que atendeu a todas as exigências e normas para a fabricação e comercialização do produto, está pronta para seu funcionamento.

Com acompanhamento e orientação da Unidade Operativa da Emater local, empresa integrante da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater (GU), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), o projeto foi concebido segundo as recomendações dos órgãos de fiscalização, por isso, os certificados de funcionamento do Mapa e outros órgãos do governo estadual e municipal foram liberados. Com este documento, a unidade poderá comercializar seus produtos com certificação.

A região tem uma grande potencialidade para fruticultura e o agricultor Martinho de Paiva, do Sítio Nossa Senhora da Conceição, da Comunidade Nossa Senhora Aparecida, informou que serão trabalhados dez tipos de sabores. A empresa já conta com dez agricultores fornecedores e a previsão inicial é de uma produção anual de sete toneladas de polpas de frutas para atender a demanda de Gurinhém e, depois, os municípios da região.

O agricultor conta que tomou gosto pela fabricação de polpas depois de um curso de boas práticas para aproveitar a produção de um pé de maracujá existente no sítio. Orientado pelos extensionistas rurais, decidiu ampliar as atividades. Juntos montaram o projeto no mesmo local. No momento, inicia o plantio de uma área com mil pés de maracujá usando o sistema de irrigação por gotejamento, aproveitando as águas de uma barragem subterrânea construída no ano passado.

Agora, com o projeto consolidado, se propõe a comprar a produção de frutas em toda a região. “Todo o nosso trabalho, desde o primeiro momento, teve a efetiva participação da Emater, que nos orientou e acompanhou, que foi fundamental para a concretização da iniciativa. Os técnicos perceberam na produção de polpa uma nova alternativa de renda”, comentou Martinho de Paiva.

Como vivia – O coordenador regional da Emater em Itabaiana, Paulo Emilio, lembrou que há quatro anos o agricultor procurou a extensão rural para uma orientação acerca de pequenas criações e de hortas cultivadas no sítio, então, conhecendo a sua potencialidade, foi sugerido fazer novos investimentos. Anos depois adquiriu um veículo pelo Programa Mais Alimento para transporte da mercadoria.

Antes de decidir pelo beneficiamento de polpas de frutas, Martinho, sua esposa Ana Lúcia e seu filho Maurício de Sousa Paiva, trabalhavam com diversificação de cultura, numa área de 5,5 hectares. Eles mantinham pequenas criações e um rebanho de cinco vacas para produção de leite.

“Estava cansado de vender leite, minha principal atividade. Decidimos implantar a unidade de beneficiamento de frutas. Construímos a obra com recursos próprios. Vendemos tudo o que tínhamos e fomos investindo na implantação do projeto. Agora é estimular que mais produtores rurais cultivem fruteiras”, comentou Martinho.

A unidade denominada de “Tuttifrutas Comércio Polpa de Frutas” contém despolpadeira, pias, tanques dosador, mesas de descaroçamento, sete freezers, dois tanques de lavagem e enxaguo, além de uma cisternas com capacidade de 50 mil litros de água.

Todo o projeto teve acompanhamento dos técnicos Cássia Cavalcante, gerente da Unidade Operativa da Emater em Gurinhém, e Severina Araújo, extensionista social, além do extensionista Ricardo Farias, que orientou a construção da barragem subterrânea.