Fale Conosco

11 de dezembro de 2012

Agricultor assessorado pela Emater produz quatro vezes mais



A perspectiva da extensão rural e o papel que desempenha a agricultura familiar foram apresentados, na manhã desta terça-feira (11), pelo diretor do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Argileu Martins, para técnicos da Emater Paraíba, destacando os avanços ocorridos nas últimas décadas e que têm contribuído para a melhoria da qualidade de vida da população brasileira.

Ao destacar a importância da extensão rural, Argileu Martins informou que o agricultor familiar assessorado pelo extensionista produz quatro vezes mais do que aqueles que não contam com esse tipo de assistência. Quando recebe assessoramento técnico num hectare de terra, o produtor obtém uma renda de R$ 5,1 mil e quando isso não ocorre sua renda é de R$ 639, conforme dados do Censo Agropecuário do IBGE de 2006.

Segundo ele, apesar de representar 80% das propriedades rurais no país e 70% dos alimentos da cesta básica do brasileiro, os agricultores familiares ainda não são prioridade nas pesquisas cientificas acadêmicas, mas continuam sendo a preferência da extensão rural. O diretor do Dater disse que o MDA vem trabalhando na reestruturação do setor de assistência técnica rural, e que existe uma demanda muito grande por parte dos agricultores para melhorar a produção de alimentos.

Martins destacou que a extensão rural deve focar em seu trabalho as inovações tecnológicas e políticas públicas, procurando implantar aquilo que for de sua competência e facilitando o acesso do agricultor familiar.  “A extensão rural que não se apropria de políticas públicas e inovações tecnológicas não avança”, observou.

Conforme dados do IBGE, no Brasil existem 4.366.267 agricultores familiares que são assessorados por extensionistas, e também existem 1.326.446 agricultores que não dispõem de nenhuma renda ou que possuem terras para outras finalidades.  “A assistência técnica garante maior renda às famílias e deve ser o centro a atenção do extensionista”, constatou.

Foi graças à extensão rural que nas últimas seis décadas muitas lideranças rurais consolidaram suas atividades, devendo continuar vigilante às mudanças ambientais, e está sempre interagindo com a administração municipal, onde tudo começa. “É preciso viver em permanente dialogo com as lideranças comunitárias e agricultores”, lembrou.

Na solenidade na Emater, estavam presentes os 15 coordenadores dos escritórios regionais, os diretores técnico e administrativo, Erasmo Lucena e Francionildo Araujo, respectivamente, além do presidente do Interpa, Nivaldo Magalhães, e extenionistas representando as 223 unidades operativas da empresa no estado.

Argileu Martins veio à Paraíba para receber o título de cidadania, outorgado pela Assembleia Legislativa, numa propositura do ex-deputado Biu Fernandes, com articulação do deputado Francisco de Assis Quintans e do presidente do Interpa, Nivaldo Magalhães.