Fale Conosco

4 de fevereiro de 2013

Agevisa promove discussão para eliminar riscos sanitários na agricultura familiar



A Agência Estadual de Vigilância Sanitária, por meio da Gerência Técnica de Alimentos, Água para Consumo Humano e Toxicologia, vai promover reuniões com gestores municipais da área de agricultura e com técnicos das Gerências Regionais da Agevisa e também das Visas Municipais. Segundo o diretor geral da Agevisa/PB, Jailson Vilberto, os encontros, que serão realizados após o carnaval, terão como pauta a discussão sobre como chegar à eliminação dos riscos sanitários na agricultura familiar e nas atividades desenvolvidas no âmbito dos setores associativistas, cooperativados e microempreendedores individuais.

O assunto foi tema de Oficina sobre Inclusão Produtiva e Segurança Sanitária promovido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no último dia 28, em Brasília. Presente ao evento, a gerente técnica de Alimentos da Agevisa/PB, Raquel Lima, informou que o objetivo da discussão iniciada na Capital Federal é aperfeiçoar o trabalho desenvolvido pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) junto à agricultura familiar e demais atividades a ela relacionadas.

Durante a reunião de Brasília, foram realizadas Rodas de Conversa com representantes dos Ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), da Slow Food Brasil e da Associação dos Pequenos Agricultores do Oeste Catarinense (Apaco).

Após as discussões, foi apresentada proposta de minuta de Projeto de Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária. Também foram apresentadas e discutidas propostas voltadas para a construção do instrumento legal necessário para orientar o programa. “O nosso objetivo com esse trabalho é garantir que haja segurança alimentar nas atividades relacionadas à agricultura familiar, desde a produção até a chegada do alimento na mesa do consumidor”, enfatizou Raquel Lima.