Fale Conosco

1 de novembro de 2011

Agevisa define estratégias contra uso de tecidos contaminados



A Agência Estadual de Vigilância Sanitária da Paraíba (Agevisa) realizou, na manhã desta terça-feira (1º), na 2ª Regional da Agevisa, em Campina Grande, uma reunião para analisar, avaliar e definir ações estratégicas contra a venda irregular de tecidos com características de resíduo hospitalar. A reunião teve a participação de municípios vizinhos a Pernambuco, identificados sendo os de maior potencial de risco sanitário.

Durante a reunião, a inspetora Mariceli Barbosa, da Agevisa, disse que o material apreendido no município de Umbuzeiro, no dia 22 de outubro passado (foram 23 fronhas, nove lençóis com elástico, quatro lençóis sem elástico e uma toalha de rosto), em duas bancas da feira livre, não continha iniciais dos Estados Unidos – entretanto, foram apreendidos por apresentarem péssimas condições de higiene, inclusive manchas de coloração vermelha. Mariceli exibiu fotografias do material, encaminhado para análise que confirmará se houve ou não contaminação por sangue.

O gerente técnico da agência em Campina Grande, Antônio Júnior, destacou a importância do encontro e também o apoio que o Governo do Estado vem dando ao trabalho da Agevisa. “Estamos levando em consideração a importância de garantir a qualidade de vida dos usuários e adotando medidas que interfiram na entrada de qualquer tipo de material que possa causar danos à saúde da população”, disse.

 

A diretora técnica de Estabelecimentos e Práticas de Saúde do Trabalhador da Agevisa, Fátima Carvalho, ressaltou que a contribuição da população é importante. “Se alguém suspeitar de algum material, pode nos acionar. As denúncias ajudam muito nas fiscalizações”, disse. Segundo ela, a denúncia pode ser feita pelos telefones 150 ou 3218-5939 (João Pessoa) e 3310-7115/ 7122 ou 8863-0456 (Campina Grande) ou pelo e-mail ouvidoria@agevisa.pb.gov.br.

 

Relatório – No final da reunião, ficou definido que os representantes da vigilância sanitária nos municípios montarão um relatório com plano de ações estratégicas para evitar a entrada de lençóis suspeitos de contaminação, além de conscientizar a população sobre os riscos da reutilização desse produto. O relatório deverá ser entregue à Agevisa no próximo dia 7.

 

Também ficou definido que os representantes vão intensificar a fiscalização em feiras livres, orientando os comerciantes e a população por meio de veículos de comunicação locais e pela realização de reuniões com setores da sociedade e de trabalhos educativos.

 

Outras medidas – Desde o último dia 17 de outubro, outras medidas foram tomadas, como o contato com a Agevisa de Pernambuco, um alerta às gerências regionais da Agevisa no Estado, a intensificação da fiscalização nas rodovias pela Polícia Rodoviária Federal, o encaminhamento de ofícios aos secretários de saúde dos municípios paraibanos que se situam na divisa com Pernambuco e a fiscalização em feiras livres.