Fale Conosco

26 de dezembro de 2017

Agevisa defende cuidados especiais para garantir segurança sanitária nas festas de fim de ano



A Agência Estadual de Vigilância Sanitária utilizou-se do informativo Momento Agevisa, veiculado dentro da programação do Jornal Estadual da Rádio Tabajara – AM (1110) e FM (105.5), para desejar Boas Festas e um Réveillon com muita segurança sanitária aos paraibanos e às pessoas de outras regiões do País (e também do exterior) que aproveitam as férias de fim de ano para conhecer e aproveitar as belezas naturais da Paraíba e a hospitalidade do seu povo. Ao mesmo tempo, a agência ressaltou a importância dos cuidados que devem ser tomados para que as festas sejam curtidas da melhor maneira possível e, especialmente, com muita saúde e segurança.

Para que isso ocorra, segundo a diretora-geral da Agevisa, Maria Eunice Kehrle dos Guimarães, além da atenção às questões de segurança pessoal, familiar e patrimonial, é muito importante que as pessoas zelem pelas boas práticas de higiene, manipulação, acondicionamento, preparo e conservação dos alimentos, não somente em suas casas, mas, sobretudo, nos lugares onde estes são preparados em escala comercial, a exemplo dos bares, restaurantes, hotéis, lanchonetes e outros similares.

Nesses estabelecimentos, Maria Eunice lembrou que (na Paraíba) os consumidores são autorizados por lei a acessar os locais onde sejam preparados e armazenados alimentos destinados à comercialização para o consumo humano.O instrumento legal citado pela diretora-geral da Agevisa/PB é a Lei nº 10.953/2017, que foi sancionada pelo governador Ricardo Coutinho e publicada na página 01 do Diário Oficial do Poder Executivo – edição de 19 de julho de 2017.

Em seu art. 1º, a Lei 10.953/2017 determina, textualmente: “São os estabelecimentos comerciais do ramo alimentício, tais como bares, restaurantes, hotéis e similares, obrigados a permitir o acesso dos clientes e usuários aos locais onde sejam preparados e armazenados os alimentos destinados ao consumo e comercialização, durante o horário de expediente.”

“Ressalte-se que a Lei 10.953/2017 faculta aos proprietários ou administradores dos estabelecimentos a definição de restrições do acesso em horários de maior atividade, como também a determinação do número máximo de clientes que devem acessar simultaneamente os locais nela previstos.Ao ingressar nos referidos ambientes, os consumidores devem estar sempre acompanhados por funcionários dos estabelecimentos, e em nenhum momento poderão manipular objetos ou alimentos”, observou a diretora da Agevisa.

Assim como a atenção especial que deve ser dada aos alimentos, Maria Eunice alertou a população para os cuidados que devem ser tomados em relação ao consumo de medicamentos (especialmente de antibióticos), que deve ocorrer exclusivamente mediante prescrição e orientação médica.Agindo assim, segundo ela, as pessoas estarão se protegendo de possíveis complicações (muitas vezes graves) provenientes do uso inadequado de remédios. Além disso, estarão evitando um problema ainda maior (e, neste caso, de saúde pública) que diz respeito à perda da eficácia dos medicamentos, notadamente dos antibióticos, por causa do uso indiscriminado por parte da população.

 

“Como já observamos aqui no Momento Agevisa (na edição de 14 de novembro passado), o uso indiscriminado de antibióticos contribui para o surgimento de superbactérias que podem provocar doenças contra as quais não se consiga alcançar a cura”, enfatizou Maria Eunice.E acrescentou: “Cientes de suas responsabilidades para consigo mesmas, as pessoas poderão aproveitar muito bem e muito melhor as festas e as inúmeras atrações oferecidas durante o período natalino e os primeiros meses do novo ano. E tudo isto regido por um belo Verão regado a muito sol e belíssimas praias”.