Fale Conosco

4 de novembro de 2016

Agevisa alerta sobre prevenção do câncer de próstata



A Agência Estadual de Vigilância Sanitária abriu a série do programa “Momento Agevisa” deste mês de novembro com informações importantes para a saúde do homem, notadamente sobre como se prevenir do câncer de próstata, o segundo tipo de câncer mais frequente nas pessoas do sexo masculino que atinge um em cada seis homens e que apresenta um alto índice de mortalidade.

A iniciativa faz parte da Campanha mundial “Novembro Azul”, fortemente encampada pelo Governo da Paraíba, segundo ressaltou a diretora-geral da Agevisa/PB, engenheira de Alimentos Glaciane Mendes. Citando dados disponibilizados pela Sociedade Brasileira da Urologia (SBU), ela informou que mais de 95 por cento dos casos de câncer de próstata já se encontram em fase avançada quando começam a aparecer os primeiros sintomas. “Daí a importância dos exames preventivos, notadamente em homens com idade a partir dos 50 anos”, enfatizou.

Segundo observou Glaciane Mendes, a Sociedade Brasileira da Urologia recomenda aos homens a partir de 50 anos que procurem o médico urologista para discutir a prática e a realização da avaliação, que consiste na verificação da dosagem sérica do PSA (Antígeno Prostático Específico), via exame de sangue, e no exame digital retal, com periodicidade anual. “Os dois exames são complementares, portanto, não se deve realizar apenas um deles”, alertou a diretora da Agevisa.

Ela disse também que os homens com maior risco da doença (histórico familiar, obesos, sedentários, com hábito alimentar inadequado, e os pertencentes à raça negra) devem procurar o urologista a partir dos 45 anos, e observou que esta prática está relacionada à diminuição de aproximadamente 21% na mortalidade causada pelo câncer de próstata, conforme dados da SBU.

Chances de cura – Quando diagnosticado precocemente, as chances de cura do câncer de próstata chegam aos 90%. “Mas isso só é possível por meio dos exames, pois, na fase inicial (quando as chances de cura são maiores) não há qualquer sintoma. Na fase avançada (quando a cura é mais difícil), o homem pode sentir, dentre outros sintomas, vontade de urinar com urgência; dificuldade para urinar; levantar várias vezes à noite para ir ao banheiro; sentir dor óssea, insuficiência renal e dores muito fortes”, informou Glaciane. E acrescentou:

“Uma vez diagnosticado o problema, e de acordo com a fase do tumor e as características do paciente, cabe ao médico definir as melhores formas de tratamento. Nos estágios iniciais, a Prostatectomia Radical é o tratamento padrão, e consiste numa cirurgia para retirada da próstata. Nestes casos, os índices de cura são bastante elevados”.