João Pessoa
Feed de Notícias

Agentes ambientais e digitadores da região de Patos participam de capacitação

segunda-feira, 29 de maio de 2017 - 09:58 - Fotos: 

Alinhar conhecimentos em torno do Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua), é o objetivo da capacitação oferecida aos agentes ambientais e digitadores dos 24 municípios que compõem a 6ª Gerência Regional de Saúde. O encontro, que amplia os conhecimentos dos coletores e digitadores de amostras de água para consumo humano, aconteceu nesta sexta-feira na sede da Vigilância Sanitária de Patos, com funcionários de 12 municípios. Outros 12 já haviam recebido a capacitação semana passada.

Com a nova ferramenta, o Gerenciador de Ambiente laboratorial (Gal), o município faz sua solicitação de análise de água ao laboratório, e este, após receber as amostras e analisar, informa o resultado do laudo no mesmo programa. O digitador lança os dados no novo programa, o Sisagua -  Sistema de Informação da Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano. O propósito desse programa é justamente auxiliar no gerenciamento de risco à saúde da população, prevenindo-a de ingerir água que não atenda as especificidades da Vigilância Sanitária.

Um dos problemas de inspeção das águas na regional Patos, segundo Ernani Mendes, coordenador regional do Vigiágua, diz respeito à população da zona rural ser maior que a urbana em alguns municípios e o consumo e muitas vezes a água consumida é de fontes alternativas, que não asseguram a qualidade de água potável, boa para consumo humano.

“Então a gente tem obrigação de fazer no município a vigilância dessa água para garantir que a população só beba se for de qualidade. Se for preciso correção, desinfecção, que ela seja tratada, a base de hipoclorito na zona rural, onde as pessoas se servem muitos de cisternas de placas nesse período de chuvas. Quando vai diminuindo volume, os moradores se servem de fontes alternativas, abastecidas por carros-pipas, que são fontes também de investigação nossa”, explicou Ernani.

A realização de coleta e análise das águas para consumo humano ainda não é satisfatório na região de Patos, de acordo com o coordenador do Vigiágua. Diz que a Portaria 29/14 torna de responsabilidade do município a vigilância da qualidade da água e monitoramento e que este ano se está conseguindo que os 24 municípios da 6ª Gerência façam esse trabalho de rotina.

A pactuação do Governo do Estado, municípios da 6ª e 11ª regiões com o Laboratório de Bromatologia da Vigilância Sanitária de Patos, que recebe e analisa todas as amostras de água, tanto da Cagepa quanto de fontes alternativas, verificando turbidez, PH, coliformes totais e Escherichia coli. “Sobre o resultado das amostras analisadas dessas fontes alternativas, posso garantir que 80% delas estão contaminadas por coliformes fecais. Então temos que ter uma preocupação muito grande com a água consumida, e em caso de dúvidas, fazer a desinfeção, pelo uso do hipoclorito, distribuído pelo Governo do Estado e Ministério da Saúde, ferver, filtrar para evitar doenças, que vai de uma leve diarreia, uma infecção gastrointestinal a algo mais sério, como febre tifoide, hepatite A”, alertou Ernani.