Fale Conosco

17 de outubro de 2015

Aesa restringe retirada de água do rio Paraíba e garante abastecimento de nove cidades



A Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) restringiu a retirada de água do rio Paraíba para garantir o abastecimento de nove municípios. A partir de segunda-feira (19), irrigantes, criadores de camarão e de peixe só poderão ligar as bombas de abastecimento das 2h às 6h da manhã em dias estabelecidos pelo órgão gestor.

De acordo com o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva, a medida foi tomada em função do nível da barragem Argemiro Figueiredo. Popularmente conhecido como Acauã, o reservatório tem apenas 15,5% do seu volume atual, o equivalente a 39.218.467 milhões. “Para garantir o abastecimento nas cidades estabelecemos que a vazão da barragem Acauã será de 380 litros por segundo. Se esta água que é despejada no curso do rio for usada indiscriminadamente para irrigação, ela não vai atender seu principal objetivo que é o abastecimento humano. Daí a necessidade da restrição”, explicou.

No trecho entre Acauã e a barragem de nível de Salgado de São Félix a água poderá ser retirada nos dias 19 e 26 deste mês. Já entre Salgado de São Félix e Itabaiana, os dias liberados são 22 e 29 de outubro. “Estamos estabelecendo condições para atender os consumos humano e animal dos municípios da região e também de salvar as atividades produtivas existentes na bacia hidrográfica do baixo Paraíba”, argumentou João Fernandes.

A barragem de Acauã abastece os municípios de Itabaiana, Pilar, Juripiranga, São José dos Ramos, Boqueirão de Gurinhém, Salgado de São Félix, Mogeiro, Aroeiras, Gado Bravo e o distrito Novo Pedro Velho.