Fale Conosco

15 de outubro de 2015

Aesa realiza palestra sobre situação hídrica da Paraíba no Distrito Industrial de Campina Grande



A diminuição das chuvas nos últimos quatro anos na Paraíba, as consequências do prolongamento da estiagem e o andamento das obras da transposição das águas do rio Francisco serão apresentados na tarde desta quinta-feira (15) em Campina Grande.  A Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) realizará uma palestra às 15h, no auditório da Coteminas, no Distrito Industrial.

Na pauta de discussão estão previstas ainda as bases da política nacional e estadual de recursos hídricos e a importância do uso racional da água. “A previsão do Ministério da Integração Nacional é de que o Eixo Leste seja concluído em janeiro de 2017. Até lá, precisamos gerir nossas reservas hídricas da melhor maneira possível. Neste sentido, é importante que as empresas instaladas no Distrito Industrial também façam a sua parte economizando água”, ressaltou o presidente da Aesa, João Fernandes.

O projeto para avaliar a disponibilidade de água subterrânea no aquífero Barramares e o andamento da adutora Pajeú, tema de reunião na Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), na quarta-feira, também serão apresentados. A obra está sendo realizada em Pernambuco pelo Departamento de Obras Contra as Secas (Dnocs) com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II). “A previsão é de que 112 mil pessoas de nove municípios pernambucanos e cinco paraibanos sejam beneficiadas. A água desta adutora será captada do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF)”.

Já o estudo do aquífero, que fica localizado na região do litoral da Paraíba e de Pernambuco, deve ser realizado por meio de uma parceria entre Aesa e Apac. “Queremos saber a dimensão do aquífero e a sua disponibilidade. Estamos preocupados com perfuração de poços clandestinos, que pode causar a salinização da água do subsolo, deixando-a imprópria para o consumo humano”, concluiu João Fernandes.