Fale Conosco

15 de abril de 2014

Aesa destaca chuvas e recuperação dos mananciais paraibanos



A segunda edição do Informativo Hidroclimático da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) destacou a recuperação gradativa dos mananciais paraibanos e a tendência das chuvas se tornarem mais frequentes no Agreste, Brejo e Litoral nos próximos meses. A primeira versão do boletim semanal foi lançada no início do mês, pelo setor de Monitoramento e Hidrometria do Governo do Estado.

De acordo com o Informativo, a previsão é de que até o final de abril a combinação das altas temperaturas e a maior concentração de umidade no ar favoreçam à ocorrência de chuvas no Cariri, Curimataú, Sertão e Alto Sertão. A partir de maio, tem início a estação chuvosa da faixa litorânea.

Com o início do período mais favorável à ocorrência de chuvas no Brejo, Agreste e Litoral, a tendência é de que gradativamente as precipitações se tornem mais frequentes com o passar dos dias. Isso por conta do transporte de umidade causado pelos ventos oceânicos”, descreveu a meteorologista do Governo do Estado, Carmem Becker.

Açudes - Os índices pluviométricos registrados desde o início do ano contribuíram para a recuperação progressiva dos mananciais, principalmente os localizados no Semiárido paraibano. “Um levantamento feito por nossa equipe revelou que, até o momento, as sub-bacias dos rios Espinharas, Peixe, Piancó e Piranhas foram as mais favorecidas pluviometricamente. No caso da sub-bacia do rio Espinharas, que do início do ano até agora alcançou 604,5 milímetros, o acumulado já é maior que a média histórica do mês de abril, que é de 577,4 milímetros”, comentou o diretor presidente da Aesa, João Vicente Machado Sobrinho.

Os eventos de chuva registrados no período foram eficientes ao aporte hídrico em alguns reservatórios do Estado, principalmente nas regiões do Alto Sertão e Sertão”, completou o gerente de Monitoramento e Hidrometria, Alexandre Magno, destacando os açudes Coremas (34,4% da capacidade) Mãe D’Água (29% da capacidade).