Fale Conosco

29 de agosto de 2011

Adolescentes da Fundac participam de palestras sobre combate ao fumo



O Governo do Estado, por meio da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac), está promovendo várias palestras voltadas para os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas de internação e semiliberdade sobre os malefícios provocados pelo uso do cigarro. A ação integra a programação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado nesta segunda-feira (29).

No Centro Educacional do Adolescente (CEA), localizado no município de Sousa, a palestra aconteceu na manhã desta segunda e foi coordenada pela equipe pedagógica da unidade e ministrada por Walter Sarmento, da Comunidade Espírita Casa do Caminho. O palestrante é responsável por desenvolver um projeto  de prevenção às drogas nas escolas públicas e privadas da cidade.

Durante o evento, foram apresentados dados que comprovam os males que o cigarro e outras drogas causam à saúde das pessoas, em especial a dos adolescentes, por estarem em processo de formação física e psicológica. Além de acompanharem toda a explanação do palestrante, os internos também participaram do evento fazendo perguntas e relatando fatos do cotidiano deles.

Já os educandos da semiliberdade participaram de uma palestra promovida pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), no auditório do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, em João Pessoa. O evento também aconteceu às 15h, e teve como tema o tabagismo e as suas consequências à saúde.

A palestra foi ministrada pela psicóloga Maria da Guia Machado, do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, da Secretaria de Estado da Saúde, e faz parte das ações promovidas pela própria Secretaria. Essas atividades têm como foco o combate ao uso de cigarro pelos jovens, destacando o vício como uma doença.

O uso de cigarro na adolescência – Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (29) pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), mesmo sendo ilegal, a compra de cigarros por jovens menores de 18 anos de idade é um hábito comum no comércio brasileiro. O levantamento é baseado em pesquisas do Sistema Internacional de Vigilância do Tabagismo, da Organização Mundial da Saúde (OMS). Foram os próprios adolescentes que relataram nunca terem tido dificuldades para comprar cigarros. Outro dado apontado é que a maior parte dessa venda é feita por unidades, o que também é proibido por lei. A pesquisa também mostra que essa facilidade faz com que de cada 10 fumantes, oito tenham começado a fumar com menos de 20 anos.