Fale Conosco

27 de outubro de 2015

Adolescentes da Fundac participam da 3ª Conferência Estadual de Juventude



Os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas nas unidades da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac) – Casa Educativa e Semiliberdade – vivenciaram um momento diferente nesta terça-feira (27). Pela primeira vez, foram escolhidos para participar como observadores na 3ª Conferência Estadual de Juventude, que acontece nesta quarta (28) e quinta-feira (29) na Escola Técnica Estadual de João Pessoa, em Mangabeira, das 9 às 21h. A abertura vai contar com a apresentação cultural do grupo “Nos Acordes da Socioeducação”, composto por internos de unidades socioeducativas.

Da Casa Educativa, duas jovens que haviam sido eleitas delegadas na conferência municipal de João Pessoa vão com mais 10 outras meninas que serão observadoras e representantes da sociedade civil. Na Semiliberdade, cinco meninos serão observadores. A primeira Conferência Livre realizada pela Fundac, em parceria com a Secretaria Executiva de Juventude, mobilizou jovens das duas unidades socioeducativas de João Pessoa. Na Casa Educativa, as meninas discutiram e aprovaram três propostas que serão encaminhadas e defendidas na Conferência de Juventude.

O direito ao programa ProJovem socioeducativo, a obrigatoriedade dos Creas em acompanhar jovens egressos de medidas socioeducativas e a garantia à internação no sistema socioeducativo de acordo com a identidade de gênero são as propostas aprovadas na Casa Educativa.

Na Semiliberdade, os meninos definiram como propostas a disponibilização de 5% das vagas de emprego oferecidas pelas empresas licitadas e terceirizadas pelo Estado para egressos da socioeducação (reformulação do Decreto do Sistema Penitenciário), socioeducandos possam participar do ProJovem Trabalhador  e garantia de cotas para os socioeducandos nos cursos profissionalizantes do IFPB- Pronatec e Sistema S.

Conferência Livre – O tema abordado na primeira conferência livre da Casa Educativa foi sobre ‘Diversidade e Igualdade’ e na Semiliberdade sobre ‘Trabalho e Renda’. “Meninos e meninas vivenciaram momento único, contribuindo para a construção de políticas públicas de juventude para toda Paraíba”, comentou a presidenta da Fundac, Sandra Marrocos.

M.L, 15 anos, delegada junto com R.L,16 anos, nesta 3ª Conferência Estadual de Juventude, estão ansiosas. M.L. considera importante participar da conferência porque quer buscar novos caminhos para sua vida. Ela também acredita que a conferência será um espaço de troca de conhecimento. “Todos são iguais. Todos têm direitos e todos merecem esses direitos iguais”, declarou.

Para Beatriz Vieira, gerente da Secretaria Executiva de Juventude, “o processo de conferência é de descoberta para juventude em si. Através desse processo, a gente impulsiona a juventude para que ela venha a fiscalizar as políticas públicas já existentes e a propor para o poder público novas politicas já que são esses jovens que estão utilizando dessas políticas”.

Sobre as conferencias livres, Beatriz informou que são processos, que não são obrigatórios, porém o Governo do Estado vem se preocupando e está reunindo a juventude. “A gente sabe que essa juventude precisa ser assistida sim”, ressaltou. Ela compreende a necessidade e importância de estar junto dos adolescentes que estão em unidades socioeducativas em cumprimento de medidas “para que possam dizer quais os tipos de políticas podem ser adotadas e que possam evitar reincidência para que a galera que tá lá fora também evite de vir aqui pra dentro”, destacou.