Fale Conosco

8 de março de 2012

Adolescentes da Casa Educativa participam de atividades pelo Dia Internacional da Mulher



A Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac) promove, nesta quinta-feira (8), uma série de atividades em comemoração ao Dia Internacional da Mulher para as adolescentes internas na Casa Educativa, em João Pessoa. O evento teve início às 9h, com um café da manhã e uma apresentação das internas, que falaram sobre o contexto histórico do dia 8 de Março e a representatividade da data para a valorização do papel social, político e econômico da mulher.

Além da exposição das temáticas apresentadas pelas adolescentes, foi exibido um vídeo educativo mostrando a relação entre a mulher e as novas estruturas sociais. O vídeo enfatizou o lugar de destaque exercido por muitas mulheres e ressaltou a imagem feminina como agente atuante em diversos segmentos de transformação e melhoria social.

No período da tarde, as internas iniciaram cursos de cabeleireira, estética e informática. E também uma oficina de artes visuais, ministrada pela artista plástica Luciele Buás, que vai desenvolver um trabalho artístico baseado na sustentabilidade, por meio da transformação de objetos domésticos em arte.

Segundo a vice-diretora da Casa Educativa, Áurea Leite, o trabalho realizado na unidade é baseado na disciplina, mas também no respeito e descoberta das potencialidades culturais, educacionais e profissionais das adolescentes, como ordena a lei, por meio do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

Para a presidente da Fundac, Cassandra Figueiredo, o trabalho que vem sendo realizado na Casa Educativa demonstra a importância de não deixar de acreditar no processo de ressocialização. “Há cerca de três anos, essa era uma das unidades de internação mais problemáticas do Estado e hoje temos aqui verdadeiras artistas, jovens que entraram sem nenhuma perspectiva de futuro e hoje mostram o seu potencial para práticas positivas. Porém, nós também sabemos que existem vários adolescentes que reincidem e que devem ser responsabilizados pelos seus atos por meio da disciplina e de um acompanhamento socioeducativo mais atento e rigoroso. E é esse modelo que queremos e vamos implantar na Paraíba”, afirmou.