João Pessoa
Feed de Notícias

Ações do Governo salvam mais de 2.600 vidas na Paraíba em três anos

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014 - 17:44 - Fotos:  Secom-PB

Redução de assassinatos e aumento na apreensão de drogas e armas. Esse é o resultado do Programa Paraíba Unida pela Paz, implantado pelo Governo da Paraíba em 2011 e que já conseguiu, por dois anos consecutivos, registrar a diminuição de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em diversos municípios do Estado.  De acordo com dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, se a tendência de crescimento de CVLI tivesse se mantido na mesma proporção dos últimos anos, a Paraíba poderia ter registrado, segundo projeções, mais de 3 mil assassinatos em 2013.

O balanço das ações em Segurança no ano passado foi divulgado pelo governador Ricardo Coutinho, na sexta-feira (10), durante a primeira reunião de monitoramento do ano, realizada Palácio da Redenção com a presença dos gestores das polícias Civil, Militar, e Corpo de Bombeiros.

De acordo com estudo realizado pelo Núcleo de Análise Criminal e Estatística da Seds (Nace), em 2011 o trabalho dos órgãos operativos de Segurança Pública conseguiu desacelerar o crescimento de assassinatos na Paraíba. No ano de 2012, pela primeira vez em 10 anos, houve redução de homicídios (8,21%), fato que se repetiu no ano passado.

Para o governador Ricardo Coutinho, os números refletem o trabalho qualificado e estratégico, além do empenho dos agentes de segurança pública que integram o Governo da Paraíba. “Estamos reduzindo, ano a ano, o crescimento da criminalidade. Somos um dos poucos estados do Nordeste que conseguiu reduzir os casos de CVLI. Em três anos, apreendemos 68% a mais no número de armas. Também em três anos, diminuímos os assassinatos de mulheres. É importante contextualizar, pois a questão da violência é nacional e, sobretudo, do Nordeste. A polícia tem trabalho em repressão qualificada. Percebemos que estamos no caminho correto, mas enquanto for registrado um homicídio eu não poderei comemorar”, afirmou o governador.

Ricardo também destacou o critério da metodologia adotada pela Secretaria de Segurança para a contabilidade dos crimes. “Na Paraíba, são contabilizados até os crimes registrados em presídios. Os outros Estados não contabilizam esses tipos de crimes. Implementamos uma política pública que está dando resultados por causa do empenho, trabalho e compromisso dos policiais civis, militares e bombeiros deste Estado”, destacou o governador.

Em 2013, foram contabilizados 1.537 Crimes Violentos Letais Intencionais – homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte. No ano de 2012, o número registrado foi de 1.542 CVLI e em 2011 ocorreram 1.680 crimes desse tipo.

Para o secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, a redução dos crimes contra a vida, indica que as ações de enfrentamento à violência estão no caminho certo. “Ainda temos muito por fazer e o trabalho de segurança pública é diário, incessante, com foco em integração das polícias, repressão qualificada e robustez do Sistema de Segurança Pública, que engloba também Ministério Público, Judiciário e  Defensoria Pública”, frisou o secretário.

Assassinatos de mulheres caem em dois anos - Também pelo segundo ano consecutivo foi reduzido o número de mulheres assassinadas na Paraíba. No ano passado, foram contabilizados 118 casos, enquanto que em 2012 registrou-se que 139 mulheres foram vítimas desse tipo de crime. Em 2011, o número de casos foi 146. Em porcentagem, a diminuição foi de 4,8% e 15%, respectivamente. A queda nos registros desse tipo de violência contra a mulher segue a redução verificada em todo o Estado em âmbito geral. Os CVLI com vítimas do sexo feminino chegaram a ter um aumento de 59% entre 2009 e 2010, quando se passou de 85 para 135 homicídios.

Apreensões de armas de fogo – A Paraíba mantém o número de pelo menos sete armas apreendidas por dia, desde 2011. É o que demonstra o relatório divulgado pela Seds, que aponta ainda um aumento no número de armas de fogo apreendidas durante quatro anos: de 1.709 em 2010 para 2.774 em 2013, o que representa um crescimento de 62,3% nesse tipo de ação.  No ano de 2012, foram retiradas de circulação 2.723 armas de fogo e em 2011 foram apreendias 2.179.

Divididas por Região Integradas de Segurança Pública (Reisp), as polícias apreenderam 1.228 armas na região da 1ª Reisp (João Pessoa), o equivalente a 44% de apreensões na Paraíba; na 2ª Reisp (Campina Grande) foram 854 armas recolhidas (31%) e na 3ª Reisp (Patos) 692 (25%).  De 2011 a 2013, o total geral de armas de fogo apreendidas na Paraíba foi de 7.689.

Apreensão de maconha é destaque – Em relação à apreensão de drogas no Estado, a quantidade de maconha supera em mais de 400% os últimos três anos. Só em 2013, foram apreendidas mais de três toneladas da droga (3.249,7 quilos). Em 2012, o montante foi de 547 quilos. Comparado ao ano de 2010, no qual foram apreendidos 225 quilos, as apreensões do ano passado representam um aumento de 1.341,7%.

Já a cocaína teve um aumento de 56,5% das apreensões feitas em 2012 para 2013. No ano passado foram apreendidos 23 quilos, enquanto em 2012 as apreensões chegaram a 15 quilos. Quanto às apreensões de crack, em 2013 foi registrado um recolhimento de 89,9 quilos do entorpecente, mas, se comparado ao ano de 2010, onde foram apreendidos 24,5 quilos, é registrado um aumento de 267%.