Fale Conosco

8 de novembro de 2012

Ações da Emater ajudam a amenizar os efeitos da seca na Paraíba



Mais de 1.600 agricultores do Cariri paraibano receberam orientações de práticas de convivência com as estiagens prolongadas, durante 16 dias de campo sobre manejo sustentável dos recursos naturais da Caatinga promovidos pelo Governo do Estado, por meio da Emater Paraíba, na região administrativa de Serra Branca, entre os meses de setembro e outubro. O objetivo principal foi capacitar as famílias a conviver com a escassez de água, a fim de amenizar os efeitos da seca.

Durante os dias de campo, os agricultores conheceram, dentre outras práticas de convivência com a seca, o aproveitamento racional dos recursos naturais da Caatinga na alimentação animal, melhoramento do sistema agroflorestal, tratamento fitoterápico animal, além da organização da produção da caprinovinocultura, enfatizando o acesso e a ampliação em mercados locais e institucionais.

As ações, uma parceria do Governo do Estado e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), beneficiam 17 municípios do Território da Cidadania no Cariri Ocidental, integrantes da Chamada Pública.

Os dias de campo ocorreram nos municípios de Camalaú, Monteiro, São João do Tigre, São Sebastião do Umbuzeiro, Zabelê, Amparo, Congo, Ouro Velho, Prata, Sumé, Coxixola, Parari, São José dos Cordeiros, Serra Branca, Livramento e Taperoá, todos pertencentes à região de Serra Branca, onde a seca já dizimou totalmente as culturas tradicionais de milho feijão e algodão, cultivadas em regime de sequeiro.

De acordo com o coordenador regional da Emater em Serra Branca, o extensionista Antônio Alberto, a situação é menos desoladora porque ainda há alguns nichos de irrigação localizada de fruticultura e de forragem animal, tipo capineira, “mas mesmo assim a água já se encontra escassa”, disse.