João Pessoa
Feed de Notícias

Ação Comunitária leva serviços básicos de cidadania ao bairro da Torre

quarta-feira, 16 de abril de 2014 - 18:23 - Fotos:  Walter Rafael / Secom-PB

A oitava edição do projeto Ação Comunitária no ciclo 2014 aconteceu na manhã desta quarta-feira (16), na Torre, em João Pessoa. Vários serviços básicos de cidadania, como a emissão de documentos e atendimentos de saúde, foram levados ao bairro. A iniciativa é do Governo do Estado, por meio da sua Fundação de Ação Comunitária (FAC).

Durante a abertura da programação, o presidente da Fundação de Ação Comunitária (FAC), Flávio Moreira, falou sobre os objetivos do projeto: “Essa é uma ação permanente que traz o governo para perto do povo, levando serviços para a comunidade. Já tivemos ao todo 20 ações em João Pessoa, Cabedelo e Bayeux. Estamos com projeto crescente de levar o projeto para todo o Estado”, afirmou.

O vigilante Messias Firmino, 46, aproveitou a oportunidade para se beneficiar e foi à tenda do Programa Cidadão para emitir documento de identidade. “Minha carteira de identidade está velha e tenho que renová-la. Por isso, vim ao Ação Comunitária. Eu sempre tinha dificuldade de me deslocar para tirar um novo documento por causa do meu trabalho. Mas um projeto desse vindo ao bairro é uma melhoria para a comunidade porque evita que as pessoas se desloquem para locais mais distantes e até mesmo pague por isso”, comentou.

Além dos serviços oferecidos nas diversas tendas instaladas na Rua Professor Eliseu Maul, na Torre, a população também pôde assistir à programação cultural da abertura do evento. Na ocasião, foram feitas apresentações de música, cover e dança. Para isso, houve a participação de usuários da Fundação de Apoio ao Deficiente (Funad) e de alunos das escolas estaduais Raul Córdula e Padre Deohn, ambas localizadas no bairro.

Um dos momentos da abertura que mais chamou a atenção do público foi a demonstração realizada pelos homens do canil da Polícia Militar. Na ocasião, os moradores puderam conferir o trabalho de dois cães policiais. Um deles é treinado para usar o faro na busca de entorpecentes. O outro animal é adestrado e obedece a comandos em ações ostensivas.

Saúde – A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esteve no Ação Comunitária da Torre. Por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde e seus setores, foram oferecidos vários serviços à população. Os moradores tiveram acesso à imunização, com ofertas de vacinas para gripe e hepatite tipo B; testes rápidos (HIV, sífilis, hepatite tipo B e C); aferição de pressão; exame de glicemia; oferta de insumos (preservativo masculino e feminino, além de gel lubrificante que diminui riscos de fissuras e contaminações nos atos sexuais; ações educativas (distribuição de panfletos sobre doenças crônicas degenerativas, a exemplo da hanseníase e tabagismo); e orientações da Vigilância Sanitária (esclarecimento sobre vetores transmissores de doenças como a dengue e esquistossomose).

Para oferecer os serviços no bairro da Torre, a SES contou com a ajuda da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde e suas divisões, a exemplo do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lace). A ação ainda teve a participação do Complexo Hospitalar Clementino Fraga e da Primeira Gerência Regional de Saúde.

Sigilo no resultado dos exames – Segundo informações da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, as pessoas que se submetem aos testes rápidos durante o projeto Ação Comunitária, passam por três etapas. Em todas elas é guardado sigilo com relação aos resultados dos exames e às informações prestadas pelos pacientes.

Em um primeiro momento, o morador é atendido individualmente por uma equipe de aconselhamento. Ela avalia a situação de vulnerabilidade do cidadão e tenta negociar formas de prevenção. O paciente também é preparado nessa etapa para qualquer tipo de resultado que o exame venha a apontar. Na segunda fase, a pessoa é submetida ao teste rápido. O resultado é comunicado de maneira sigilosa. Por último, o paciente volta ao aconselhamento para novas orientações e encaminhamentos.

Documentos – Boa parte do público que esteve no projeto Ação Comunitária desta quarta-feira visitou a tenda do Instituto de Polícia Científica (IPC) para emitir documentos como identidade e carteira de trabalho. Essas demandas são de responsabilidade do órgão, que acompanha o “Programa Cidadão”, da Secretaria de Estado Desenvolvimento Humano.

Outros serviços – A FAC também ofereceu atividades lúdicas para as crianças, além de oficina de pintura em tecido para os adultos. A Fundação disponibilizou ainda cortes de cabelos e limpeza de unha gratuita. Enquanto isso, a Polícia Militar levou ao local o Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência (Proderd), que atua nas escolas com adolescentes da 5ª e 6 ª série, atingindo a faixa etária de 10 a 13 anos. Na ocasião, foram oferecidas atividades recreativas. Já os adultos assistiram a explanações sobre os efeitos dos entorpecentes no corpo humano.

A Energisa também orientou o cidadão da Torre sobre o acesso ao programa “Conta Cidadã”, que disponibiliza descontos nas faturas mediante apresentação de materiais recicláveis. Já a Cagepa foi ao local fazer explanações sobre a Tarifa Social, que oferece taxas simbólicas para consumos mensais de até dez metros cúbicos de água. Órgãos estaduais como a Defensoria Pública e o Procon também prestaram esclarecimento de suas ações aos moradores.