João Pessoa
Feed de Notícias

Academia Paraibana de Música reabre com homenagens e shows

terça-feira, 13 de abril de 2010 - 18:34 - Fotos: 
Um show de estrelas irá celebrar a reabertura da Academia Paraibana de Música, nesta quinta-feira (15), a partir das 19h30, no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, em João Pessoa. O evento será marcado por ato solene, homenagens póstumas a dez personalidades importantes para a cultura local e apresentações musicais, que irão compor o show ‘Som de Estrelas’, montado especialmente para essa noite. O ingresso custa 2 quilos de alimento não perecível, a serem doados às entidades Vila Vicentina e Vila Criança Feliz.

A reabertura da Academia tomou fôlego depois que o presidente da Fundação Espaço Cultural (Funesc), Maurício Burity, decidiu presentear os acadêmicos com um local onde eles pudessem voltar a se reunir. “Esse foi o grande incentivo para que nós voltássemos a nos encontrar”, comentou Ricardo Anísio, um dos membros da Academia. “Depois da morte do presidente Domingos de Azevedo, ficamos dispersos. Agora, é hoje de retomar os trabalhos e essa parceria com a Funesc está sendo fundamental”, acrescentou.

Elenco – Nesta quinta-feira, o show ‘Som de Estrelas’ vai reunir artistas como Jessier Quirino, Oliveira de Panelas, Diana Miranda, José Bezerra Filho, Elpídio Ferreira, Isa y Plá, Pérola Negra e a cantora lírica Ana Gouveia (vice-presidente da Funesc), que se apresentará com a Orquestra de Violões. Na apresentação da noite, a Orquestra de Violões será regida por um dos seus fundadores e também membro da Academia Paraibana de Música, o maestro Gladson Carvalho.

“Vamos celebrar a reabertura da Academia Paraibana de Música com uma noite de festa para as pessoas. Esse show demonstra o novo perfil que a nossa entidade quer apresentar que é uma Academia mais dinâmica, menos formal e muito mais produtiva. Por isso a diversidade dos artistas convidados para o show dessa noite,” explicou o jornalista Ricardo Anísio, responsável também pela produção artística do evento.

As homenagens da noite serão feitas no início da programação, prevista para ter início às 19h30. Foram escolhidos dez nomes de importante contribuição artística para o Estado. São eles: Sivuca, Jackson do Pandeiro, Livardo Alves, Canhoto da Paraíba, José Alberto Kaplan, Genival Macedo, Gerardo Parente, Domingos de Azevedo, maestro Vilô e Isabel Burity. As famílias desses artistas serão presenteadas com diplomas no momento da homenagem.

Novidades – A retomada das atividades da Academia deve ser marcada por várias novidades. Segundo Ricardo Anísio, novos projetos serão encampados para tornar a entidade mais dinâmica. “Queremos deixar de ser aquela entidade estática, extremamente formal, para sermos dinâmicos e produzirmos projetos”, afirmou.

Segundo ele, entre as inovações está a produção de eventos, shows, concertos, festivais e criar um selo para publicação de livros. “Vamos propor ainda o intercâmbio de músicos com as academias de música existentes em outros Estados, para que músicos daqui se apresentem em concertos de outros locais e vice-versa”, explicou.
Anísio disse ainda que um dos projetos será a produção de um programa de rádio. “Estamos tentando com o superintendente da Rádio Tabajara, Rui Leitão, um horário na programação para produzirmos um programa de rádio com música instrumental de alta qualidade”.

Eleições e novas vagas – Com o retorno dos trabalhos, a atual presidência da Academia Paraibana de Música, ocupada pela professora Nereuza Nery de Luna Freire (em substituição ao membro fundador Domingos de Azevedo, que faleceu em maio de 2009) pretende fazer novas eleições. Segundo explicou Ricardo Anísio, as eleições devem eleger os novos acadêmicos que irão ocupar as cadeiras vazias, bem como abrir novas vagas.

“Das 18 cadeiras existentes atualmente, oito estão ocupadas com membros efetivos. As demais são formadas por integrantes que moram fora do país ou ficaram vazias após a morte de seus ocupantes. As eleições também servirão para escolhermos os nomes que vão ocupar as duas novas vagas que estaremos abrindo na Academia. Portanto, passaremos de 18 para 20 membros”, afirmou o jornalista.

Os atuais membros da entidade são Nereuza Nery (presidente), Itapuan Botto Targino, Edval Toscano Varandas, Ana Gouveia, Ricardo Anísio, Francisca Porto, Marilda Eduardo de Luna Freire e Gladson Carvalho.

A presidente – A professora Nereuza Nery de Luna Freire passou a exercer o cargo de presidente no mês passado. Ela foi eleita seguindo o regimento interno da Academia que orienta que em caso de morte do presidente, a primeira secretária deve tomar posse. Sendo assim, com vaga do cargo deixada com a morte do saudoso musicólogo e historiador Domingos de Azevedo, no ano passado, a acadêmica assumiu o cargo e a Academia passou a ter uma nova gestora.

Ela é membro integrante da Academia desde sua fundação em 1996. “Sou uma apaixonada pela música. Assumir essa vaga é um grande sonho e substituir Domingos de Azevedo é gratificante. Essa nova experiência é um sonho para mim, porque é a oportunidade de fazer alguma coisa pela música. Dentro de uma entidade como esta, nós podemos realizar debates como prática da liberdade musical, discussões, eventos”, disse a professora. Nereuza Nery de Luna Freire é paraibana, natural de João Pessoa, filha do educador Manoel Nery e Creusa Nery. Formada em piano pela Universidade Federal da Paraíba realiza pesquisas sobre música popular.

Da Assessoria de Imprensa da Funesc