Fale Conosco

28 de agosto de 2013

Abraço simbólico na Lagoa marca dia de combate ao tabagismo



Um abraço simbólico na Lagoa do Parque Solon de Lucena, no centro de João Pessoa, vai marcar o encerramento da campanha de conscientização sobre os males do fumo nesta quinta-feira (29). As secretárias estaduais de Saúde e Educação esperam mobilizar 3 mil alunos de escolas públicas no evento que encerrará uma programação que começou no dia 23 para lembrar o Dia Nacional de Combate ao Fumo, que transcorre nesta quinta.

O ato começa às 8hs com a participação de alunos das escolas Liceu Paraibano, Instituto de Educação da Paraíba (IEP), Argentina Pereira Gomes, Olivina Olívia, Úrsula Lianza, Professor Luiz Gonzaga Burity, Maria Geni de Sousa e Nicodemos Neves.

Os alunos se reunirão em dois pontos: na descida do Liceu e no estacionamento interno do parque Solon de Lucena, onde será distribuído com a população material educativo que aborda as consequências do tabagismo. “O nosso objetivo, além de trabalhar a prevenção junto aos jovens, é fazer com que eles se transformem em agentes multiplicadores e sejam parceiros na luta contra o tabagismo”, destacou, Gerlane Carvalho de Oliveira, chefe do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis da SES.

As ações da campanha foram iniciadas no dia 23 deste mês com uma palestra sobre tabagismo reunindo diretores de escolas e coordenadores do Programa de Saúde na Escola (PSE), no auditório do Liceu Paraibano. Na exposição, o pneumologista Sebastião Costa, presidente do Comitê de Tabagismo da Associação Médica da Paraíba, procurou sensibilizar os educadores a trabalhem essa temática em sala de aula.

O pneumologista falou sobre as doenças causadas pelo uso do cigarro e do grande desafio de lutar contra a indústria tabagística que tenta passar a imagem de que “o cigarro é charme, é inteligência é liberdade, imagens estas que são comuns em filmes e telenovelas”. “Todas as ‘qualidades’ associadas ao cigarro não revelam que fumar causa dependência, dificuldade de respiração, além do inconveniente da fumaça” alertou Sebastião Costa.

Tratamento Na Paraíba existem hoje 37 Centros de Referência para Tratamento dos Fumantes, onde se pode buscar apoio para se livrar do vício provocado pela nicotina. O serviço é oferecido em Unidades de Saúde da Família, em Centros de Atenção Psicossocial (Caps), Centros de Atenção Integral à Saúde (Cais), Núcleos de Apoio à Saúde da Família (Nasf) e Centros de Saúde. Em alguns casos, os pacientes abandonam o cigarro com menos de um mês de acompanhamento.

O tratamento nesses locais é mantido por programa do Ministério da Saúde, que repassa medicamentos ao Estado. Este, por sua vez, é responsável pela qualificação das equipes, monitoramento do trabalho nos centros e pelo encaminhamento do material enviado pelo Ministério. Os municípios entram com a administração das unidades de saúde.

Referências Os hospitais de referência no Estado no combate aos tipos de câncer relacionados ao uso do tabaco – pulmão, esôfago e laringe – são o Napoleão Laureano, Oncoclínica e Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, e Hospital da Fundação Assistencial da Paraíba (Fap) e Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), em Campina Grande.

Dados – O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta – cerca de 1 bilhão e 200 milhões de pessoas – seja de fumantes. De acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer, a Paraíba possui hoje 511.480 e destes 99.720 estão em João Pessoa.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense 2012), estudo do Ministério da Saúde (MS) em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apoio do Ministério da Educação, o percentual de adolescentes que experimentaram cigarro caiu em 8% nas capitais, entre 2009 e 2012. O estudo é uma das ações do Programa Saúde na Escola (PSE).