João Pessoa
Feed de Notícias

A previsão é que os preços dos legumes continuem aumentando se não ocorrerem chuvas nas regiões prod

terça-feira, 6 de abril de 2010 - 13:15 - Fotos: 
O quilo da batata inglesa está 43,61% mais caro nas feiras livres e supermercados de João Pessoa. O preço médio do produto subiu de R$ 2,43, em fevereiro deste ano, para R$ 3,77 em março.  A alta no custo do legume fez com a cesta básica do mês passado registrasse a maior elevação percentual de 2010, ficando 7,13% mais salgada para o bolso do consumidor.  Os custos da alimentação foram divulgados, nesta terça-feira (6), pelo Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme).

De acordo com o chefe do Departamento de Informações para o Planejamento do Ideme, economista Geraldo Lopes, o aumento no preço da batata inglesa foi decorrente do excesso de chuvas, entre janeiro e março, nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. “As fortes chuvas que caíram, principalmente, em Minas Gerais, prejudicaram a produção de batata. Como a oferta do produto ficou pequena para venda, os preços acabaram sendo reajustados para o consumidor”, explicou.

O grupo legumes – que inclui a batata inglesa – apresentou alta de 33,14% nos preços. Nesta categoria, por exemplo, outros itens também registraram acréscimos percentuais nos valores, entre fevereiro e março deste ano. O tomate ficou 41,67% mais caro ao ter os valores reajustados de R$ 2,04 para R$ 3,06 no período. Já a beterraba registrou elevação de R$ 2,29 para R$ 3,08, o que representa alta de 31,59% nos preços cobrados em feiras livres e supermercados, entre fevereiro e março. Já o custo da cenoura sofreu aumento de R$ 2,14 para R$ 2,43 (27,77%).

Se por um lado o excesso de chuvas no Sudeste e Sul prejudicou a safra da batata inglesa, a estiagem penalizou a produção de tomate, beterraba e cenoura no Nordeste. “A região do município de Vitória de Santo Antão, em Pernambuco, e o Agreste paraibano, além de Campina Grande, tiveram poucas chuvas entre fevereiro e março. Isso fez com que a produção de legumes fosse prejudicada nas lavouras”, afirmou Geraldo Lopes.

A previsão do economista é que os preços dos legumes continuem aumentando nas feiras livres e supermercados, se não ocorrerem chuvas nas regiões produtoras da Paraíba e Pernambuco. “Os preços dos legumes só deverão baixar após a chegada do período chuvoso, e consequentemente, da regularização da safra”, estima Geraldo Lopes.

Com o aumento de 7,13% no preço da cesta básica, o custo da alimentação básica para apenas uma pessoa ficou em R$ 182,48, no mês de março. Isso corresponde a 35,78% do salário mínimo. “Foi uma grande aumento no custo da cesta básica”, avaliou Geraldo Lopes. Uma família composta de quatro pessoas teria que dispor de R$ 729,92 para comprar a alimentação básica. Em 2010, a cesta básica acumulou alta de 5,83%.
Mais produtos em alta – Os técnicos do Ideme encontraram aumento de preços em outros nove produtos que compõem a cesta básica: Feijão (20%), frutas (10,82%), raízes (10,69%), farinha de mandioca (5,08%), açúcar (3,91%), arroz (1,04%), café moído (0,92%), carnes (0,69%) e leite (0,60%).

Por conta da alta nos preços nos alimentos, a recomendação do economista do Ideme é que a população faça a pesquisa de preços antes de levar os produtos para casa. “As pessoas devem procurar oportunidades melhores fazendo as compras nos períodos de término das feiras livres”, recomendou o chefe do Departamento de Informações para o Planejamento do Ideme.
 

Bartolomeu Honorato, da Assessoria de Imprensa do Ideme