Fale Conosco

19 de junho de 2009

A meta é tornar a Paraíba zona livre da febre aftosa



O Governo da Paraíba, parceiros, produtores e técnicos integram pacto pelo fortalecimento da agropecuária. A determinação do governador José Maranhão é agilidade nas ações de erradicação da febre aftosa no Estado.

As ações conjuntas entre a Secretaria Estadual do Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca (Sedap), o Ministério do Desenvolvimento Agropecuário (MDA) e a Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa) foram acertadas durante reunião no Parque de Exposição Carlos Pessoa Filho, em Campina Grande, na quinta-feira (18).

O objetivo das ações é o cumprimento de exigências do Governo Federal para manter o rebanho sem focos de febre aftosa e tornar a Paraíba zona livre da moléstia, além de promover e executar a inspeção no controle das doenças animais e vegetais no território paraibano.

As informações são do secretario estadual do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcante Junior, que destacou o avanço do trabalho de prevenção da doença em todos os municípios. “A discussão de novas estratégias para a erradicação da febre aftosa vai contribuir para intensificar as ações efetivas de combate à enfermidade em todo o Estado”, informou o secretário.

O evento, coordenado por Ruy Bezerra, reuniu os novos gerentes de serviços da Defesa Agropecuária para Erradicação da Febre Aftosa, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba; o superintendente do Ministério da Agricultura na Paraíba (MDA), Hermes Ferreira Barbosa, além do secretário executivo da Agricultura, Ronaldo Torres, assessores da Sedap e representantes da Emater.

O encontro também teve a participação da gerente geral da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), Erivânia Camelo, que apresentou através de slides a estrutura organizacional da agência. “A Adagro é quem gerencia o Fundo de Defesa Agropecuária de Pernambuco e tem por missão integrar as ações dos governos federal, estadual e municipal que contribuam para promover e executar a Defesa Sanitária Animal e Vegetal, e também controlar e a inspeção de produtos de origem agropecuária”, informou Erivânia.

No final, o secretário Ruy Bezerra pediu agilidade aos técnicos e informou que o governo estadual está trabalhando dentro de um cronograma estabelecido, pela recuperação e ampliação de toda estrutura da Defesa Agropecuária. “Com pequenos ajustes, existe a possibilidade de se fazer um grande trabalho”, disse o secretário.

Fábia Carolino, da Assessoria de Imprensa da Sedap