Fale Conosco

24 de julho de 2009

A instalação dos equipamentos atenderia 57 municípios, beneficiando cerca de 2 milhões de pessoas



A instalação de seis pólos ecológicos em áreas estratégicas da Paraíba, atendendo 57 municípios e beneficiando algo em torno de 2 milhões de pessoas. A proposta é da empresa italiana Bioen, que atua desde 2002 no setor e tem sede na cidade de Milão, e foi discutida em reunião na quinta-feira (23) na Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Estado. Além de gerar emprego e renda, esses pólos vão produzir energia limpa a partir dos resíduos (lixo) coletados e adubo orgânico.

O secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Edivaldo Nóbrega, confirmou aos representantes da Bioen o interesse da Paraíba na instalação dos pólos, e espera que os municípios envolvidos firmem parcerias, para que os projetos venham a se tornar realidade.

A empresa ficaria ainda responsável pela implantação de cursos profissionalizantes, aproveitando mão-de-obra local e também se dispõe a apoiar o ensino de educação ambiental junto às redes municipal e estadual, conscientizando os estudantes sobre a importância da preservação e a forma correta de participar desse processo para melhorar a qualidade de vida da sociedade.

Bioenergia – George Gatis, representante da Bioen nas regiões Nordeste, Norte, Sul e Sudeste do Brasil, além de países como Líbano e Angola, afirmou que o objetivo é captar lixo e transformá-lo em energia a preço competitivo, além de doar parte do adubo orgânico para associações e hortas comunitárias, contribuindo assim com o fator social. “As pessoas que vivem dentro do lixão serão beneficiadas e aproveitadas no trabalho junto à empresa”, ressaltou.

No momento, a empresa está promovendo um estudo de viabilidade, a partir de questionário que apura dados relacionados à receptação e tratamento de lixo. O próximo passo é elaborar um protocolo de intenções e dar continuidade ao projeto de instalação dos pólos.

Uma nova reunião deve ocorrer em data ainda a ser definida, desta feita com a participação de representantes dos municípios pólos e corpo técnico, para acertar detalhes e analisar os incentivos fiscais que os governos estadual e municipais podem oferecer em função dos níveis de investimento, emprego e renda, alem da preservação do meio ambiente.

Além do secretário Edivaldo Nóbrega e do empresário George Gatis participaram da reunião os empresários Ivan Chalita e Nelson Ribeiro; a secretária executiva da Indústria e Comércio, Jaqueline As Braga de Abreu; os secretários de Planejamento e Gestão, Ademir Alves de Melo, e do Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca, Rui Bezerra Cavalcanti Junior; os superintendentes da Cinep, João Laércio Gagliardi, e da Sudema, Luis Antonio Gualberto, mais representantes do Ibama, Rosil Lacerda; Empasa, José Sobrinho, e a assessora técnica da Cinep, Morena Gallina.

Ana Neves, da Assessoria de Imprensa do Turismo e Desenvolvimento Econômico