João Pessoa
Feed de Notícias

A idéia é treinar os agentes comunitários de saúde e os apoiadores das unidades básicas de saúde

quinta-feira, 1 de abril de 2010 - 15:15 - Fotos: 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com os bancos de leite humano da Paraíba, Pastoral da Criança e Sociedade Paraibana de Pediatria (SPP), traçou estratégias para aumentar a quantidade de leite humano coletado no Estado, que nos primeiros dois meses deste ano caiu 26,57%, em relação aos meses de novembro e dezembro de 2009. A idéia é treinar os agentes comunitários de saúde e os apoiadores das unidades básicas de saúde, além dos líderes comunitários da Pastoral da Criança, para que eles possam identificar as mães doadoras. As propostas foram apresentadas durante uma reunião, nesta quarta-feira (31), na SES.

O primeiro treinamento vai acontecer na próxima semana (dias 8 e 9), no Hospital Santa Isabel, para os apoiadores das unidades de básicas de saúde de João Pessoa. Além dessas capacitações, ficou decidido que o Centro de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral (Ceblhanc) vai prestar assessoria técnica aos hospitais privados do Estado. O objetivo é fazer com que eles instalem seus próprios postos de coleta para atender os bebês prematuros que nascerem nessas unidades.

“Queremos evitar que os bebês prematuros que nascem hoje, tomem leite artificial, que é o que vem acontecendo em alguns hospitais, tanto públicos como privados, porque não está sendo captado leite humano suficiente. Estamos perdendo essas crianças, porque elas não estão tomando o leite adequado para o desenvolvimento delas”, disse a gerente-executiva de Ações Programáticas e Estratégicas da SES, Juliana Soares.

Parceiros – Além das capacitações, a SES pretende mobilizar a sociedade civil organizada – Maçonaria, Rotary Clube, Lions Clube e Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia da Paraíba – para a realização de campanhas de esclarecimento sobre a importância da doação de leite humano. “Não precisamos de dinheiro para resolver o problema da falta de leite, mas da conscientização da sociedade. Precisamos valorizar as mães que estão doando e captar mais mães para se tornarem doadoras”, disse.

A diretora do Ceblhanc, Socorro Amaro, disse que os bancos e postos de coleta devem se responsabilizar por suas captações de leite e explicou que a função do centro é dar suporte técnico e fazer a articulação da Rede Paraibana de Bancos de Leite Humano. “A gente foi certificado pelo Ministério da Saúde para ser o centro de referência do Estado. Então, o nosso papel é prestar consultoria, assessoria,visitas técnicas e realizar pesquisas científicas, com o objetivo de otimizar os serviços dos bancos de leite. A coleta de leite é de responsabilidade de cada posto, de cada banco”, disse.

Queda - Nos meses de novembro e dezembro de 2009, os cinco bancos de leite humano do Estado – em João Pessoa, Campina Grande, Patos e Cajazeiras, coletaram, juntos, 915,57 litros de leite, que foram distribuídos para 592 bebês prematuros internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) de hospitais públicos e privados. Em janeiro e dezembro deste ano, foram coletados apenas 672,3 litros, beneficiando 824 crianças.

Segundo Socorro, a queda das doações nos dois primeiros meses do ano acontece por causa do período de férias, das festas de fim de ano e do Carnaval, que contribuem para a falta de tempo das mães. “Estudos nacionais demonstram que por causa das festas e das férias escolares dos filhos, as mães ficam com muito trabalho e com menos disposição para fazer a doação”, comentou.

No Anita Cabral, por exemplo, a média mensal de doações, nos meses de março a dezembro é de 200 litros, enquanto que em janeiro e fevereiro, não passa de 120. No Banco de Leite do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande, os números demonstram que também há uma queda nos dois primeiros meses do ano, quando a média de doações fica em torno de 90 litros. Já nos outros meses do ano, a média mensal é de 120 litros.

Participaram da reunião, representantes do Comitê de Aleitamento Materno e da Comissão de Bancos de Leite Humano do Estado. Além dos cinco bancos de leite, o Estado possui 12 postos de coleta.

Confira a relação dos bancos e postos de coleta :

Nome Telefone
Ceblhanc (João Pessoa) 3215-6020/6047
Cândida Vargas (JP) 3015-1555/1500
Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (CG) 3310-6356
Maternidade Peregrino Filho (Patos) 3421-3751
Hospital Regional de Cajazeiras 3531-1507/1509
Posto de coleta do Hospital Universitário Lauro Wanderley (JP) 3216-7098
Posto de coleta do Hospital Edson Ramalho (JP) 3218-7992/7999
Posto de coleta do Hospital Flávio Ribeiro (Santa Rita) 3229-1793
Posto de coleta do Hospital Regional de Guarabira 3271-4034/4933
Posto de coleta do Hospital da Unimed (JP) 2106-0393
Posto de coleta da Maternidade Frei Damião (JP) 3215-6015
Posto de coleta do Hospital da Clipsi (CG) 2102-3100
Posto de coleta do Instituto Cândida Vargas (JP) 3015-1521
Posto de coleta da Fábrica Demillus (Santa Rita) 3229-2556/3348
Posto de coleta do Hospital da FAP (CG) 2102-0300
Posto de coleta do Hospital da Guarnição (JP) 2106-1717
Posto de coleta do Distrito de Galante (CG) 3317-1018