João Pessoa
Feed de Notícias

A entrega da 5ª edição da comenda é promovida pelo Corecon-PB e ocorre nesta sexta-feira, em JP

quarta-feira, 18 de novembro de 2009 - 18:01 - Fotos: 
Com apoio da Fundação Casa de José Américo, o Conselho Regional de Economia (Corecon-PB) realiza nesta sexta-feira (20) a quinta edição do ‘Prêmio Paraíba Celso Furtado’. O prêmio foi criado em 2004 pelo Conselho, por decisão colegiada, quando da morte do patrono em 20 de novembro de 2004. O objetivo é motivar a pesquisa nas universidades da Paraíba.

Desde a criação do ‘Prêmio Paraíba Celso Furtado’ foram elaboradas 44 monografias distribuídas entre as Universidades Federais da Paraíba – João Pessoa e Campina Grande – e Faculdade Integrada de Patos. A solenidade de outorga do prêmio será realizada neste dia 20, às 19h, na Fundação Casa de José Américo de Almeida (Praia do Cabo Branco), seguida de coquetel comemorativo às ações em prol da difusão da obra do patrono Celso Furtado.

Colaboram com a iniciativa, o Conselho Federal de Economia e Sindicato dos Economistas, mas a realização fica a cargo do Corecon-PB, que é presidido pelo economista Celso Mangueira e conta com a coordenação da economista Zélia Almeida.

A Comissão Julgadora é formada pelos economistas Giovanni Carvalho Bezerra, Heitor Cabral e Antônio Cavalcanti Filho, com titulação acadêmica apropriada. Em 2008, foi criada e concedida a ‘Medalha Celso Furtado’ a economistas de comprovada atuação no Brasil, em vários setores, além da contribuição à teoria Econômica. Em 2009, os economistas escolhidos foram os professores Heitor Cabral e Ivan Targino.

Significado – A coordenadora do Prêmio, Zélia Almeida, considera “gratificante a seleção dos trabalhos, conforme a exigência experimentada e realizada pelo mestre professor Celso Furtado. Anos e anos serão passados para que transcorra o estudo da obra do eminente cientista. De Pombal ao Rio de Janeiro, onde estudou Direito, a Paris onde se doutorou em Economia aos 26 anos, integrou-se a Europa, América Latina e Estados Unidos”, acrescenta.

Ela lembrou ainda que Celso Furtado foi professor em Paris e Cambridge na Inglaterra. Aos 30 anos Diretor da CEPAL – Divisão de Desenvolvimento. Inúmeras missões na América Latina influenciaram o planejamento setorial do presidente Juscelino Kubitschek no ‘Plano de Metas’, elaborado pela Comissão Mista Cepal-BNDES, à qual estava integrado. “Após isso, foi ministro do Planejamento, criador da Sudene e seu primeiro superintendente. Em 1959, escreveu sua obra-prima ‘Formação Econômica do Brasil’, aos 37 anos, livro de referência em todo o mundo”.

Comemorações – O presidente Corecon-PB, Celso Mangueira, destaca que para comemorar os 50 anos da publicação de ‘Formação Econômica do Brasil’ foi emitido um selo comemorativo em 13 de agosto de 2009. Por ação também do Conselho, foram lançadas no mês de outubro deste ano duas edições comemorativas a obra do economista, com a participação do Centro Internacional Celso Furtado, Ordem dos Economistas do Brasil e Conselho Federal de Economia.

“Uma das edições foi organizada por Rosa Freire A. Furtado, rememorando ampliação da vida científica e acadêmica do nosso mestre”, finaliza Celso Mangueira. Integrado ao Prêmio Celso Furtado, o Corecon-PB concede duas menções honrosas: ‘Ronald Queiroz’ e ‘Neusa Lopes dos Santos’, outorgadas aos quarto e quinto lugares das monografias selecionadas.

Da Assessoria de Imprensa da Fundação Casa de José Américo