Fale Conosco

30 de julho de 2012

Músicas erudita e regional no repertório do primeiro concerto oficial do Prima



prime orquestra jovem no sao francisco foto joao francisco secom pb (82) Foto: João Francisco/Secom-PB

Um exemplo de como mudar a vida de crianças e jovens através da música e das artes. Esse foi o tom do primeiro concerto oficial dos jovens músicos do Programa de Inclusão através da Música e das Artes – Prima executado no final da tarde desta segunda-feira (30), no Centro Cultural de São Francisco, no Centro da Capital.

O concerto contou com a participação de 150 jovens estudantes de escolas públicas de Cabedelo e do projeto ‘Uma nota musical que Salva’, de Mandacaru. Neste primeiro concerto oficial, a Orquestra Jovem Popular de Cabedelo encantou o público com um repertório que foi do clássico Mozart ao popular com composições de Vital Farias, Luiz Gonzaga e Heitor Villa-Lobos.

O governador Ricardo Coutinho, acompanhado da primeira dama do Estado, Pâmela Bório, e dos secretários de Educação, Harrisson Targino, e da Cultura, Chico César, prestigiaram o concerto. Ricardo classificou o momento como histórico que será lembrado por futuras gerações. “Hoje é um dia especial. Nossa meta é cobrir a Paraíba com a magia da música tocada por jovens paraibanos”, afirmou.

prime orquestra jovem no sao francisco foto joao francisco secom pb (24) Foto: João Francisco/Secom-PB

Ricardo afirmou que para ampliar o programa o Estado está investindo R$ 3,4 milhões na aquisição de instrumentos musicais e articulando jovens músicos para serem monitores. Ele anunciou que a orquestra tocará na programação de aniversário de 427 anos de João Pessoa.

O Prima foi lançado no mês de março em Cabedelo, onde foi criado o primeiro pólo e será ampliado gradativamente para os bairros de Mandacaru, dos Novaes, Alto do Mateus, Tibiri, em Santa Rita, Campina Grande e Bananeiras.

O governador disse que fica feliz em ver o funcionamento do programa de inclusão através da música e criar as condições para que atinja a meta de atender 500 crianças de baixa renda do Estado. “Na música erudita um instrumentista depende do outro para que haja harmonia. É algo coletivo. Isso faz uma diferença enorme na vida, ao mesmo tempo em que mostramos para essa garotada que é possível ouvir música de qualidade, mesmo diante de diferenças sociais e econômicas”, completou

O maestro e diretor geral do Prima, Alex Klein, destacou que as crianças envolvidas no programa representam um recurso humano sem limites. “São crianças animadas, que gostam de aprender e viverem o efeito comunidade deste programa. Nosso desafio é oferecer o sustento de informações e conhecimentos com aulas e instrumentos que nutram os seus talentos musicais e ofereçam um caminho por meio da música erudita”, enfatizou.

prime orquestra jovem no sao francisco foto joao francisco secom pb (55) Foto: João Francisco/Secom-PB

Alex Klein disse ainda que o programa tem o foco na inclusão, na qual os próprios alunos escolhem o seu instrumento. Ele ressaltou que o programa tem o caráter de educação, mas que é natural que no decorrer do tempo o programa revele talentosos músicos para a Paraíba. “Esses são jovens privilegiados. Sempre falo para eles que eu queria ter tido essa mesma oportunidade na infância”, revelou.

O estudante da escola Major Sabino Pereira, Welton de Luna, 15 anos, é um dos membros da Orquestra Popular de Cadedelo. Ele contou que sempre gostou de música e que aprendeu a parte teórica na banda marcial da cidade, mas que a oportunidade de tocar o clarinete surgiu no Prima há três meses. “O meu aprendizado tem sido rápido devido ao empenho do maestro Alex Klein e dos nossos professores. Temos aulas três vezes por semana e ensaios coletivos, o que também facilita muito a utilização do instrumento”, contou.

Ramon Felipe, de 18 anos, também membro da orquestra, disse que o projeto tem sido uma oportunidade para os jovens que muitas vezes não têm condições de ter um instrumento ou mesmo pagar aulas de música. “Muitos jovens que estavam sem fazer nada ou correndo risco de entrar nas drogas estão tendo essa oportunidade de aprender um instrumento, tocar numa orquestra, e quem sabe seguir carreira na música”, comentou. E completou: “Apresentações como essas são importantes para o nosso amadurecimento e para mostrar que quando o governo quer pode resgatar jovens para o caminho da música e da educação”.