Fale Conosco

14 de outubro de 2011

Polícia Civil da PB e RN desarticula quadrilhas especializadas em roubo e clonagem de veículos



Quinze pessoas presas, 16 carros, 13 armas, além de placas de veículos, ferramentas e documentos falsos apreendidos. Este é o saldo parcial da Operação Dolly, deflagrada por policiais civis da Paraíba e do Rio Grande do Norte nesta sexta-feira (14). A ação, batizada de “Dolly” faz alusão à ovelha clonada.

A operação desarticulou várias quadrilhas interestaduais especializadas em roubo, clonagem e desmanche de veículos, que atuavam há vários anos no Nordeste. Qautro pessoas foram presas na Paraíba após cumprimento de mandado de prisão. São eles: Juvinil Felix Paulino, vulgo “Nil” (Cacimba da Dentro – PB), Diacis Miguel da Silva (Cacimba de Dentro), José João de Sousa, vulgo “Zé Beleco” (Nova Floresta – PB) e Francisco Canidé da Silva (Nova Floresta – PB). Além disso, foi autuado em flagrante por posse de arma João Batista Neto, em Picuí (PB).

No estado do Rio Grande do Norte foram presos: José Maurício da Silva (Parnamirim- RN), Antônio Cunha Bezerra da Costa, vulgo “Biboca” (Tenente Laurentino – RN), Sérgio de Farias Nóbrega (Nísia Floresta – RN), João Alves da Nóbrega, vulgo “João do Alto (Alto do Rodrigues – RN), Otacílio Junior (Santa Cruz – RN),  João Gonzaga Damasceno (Natal – RN) e um homem que atende apenas por Cristiano (Natal – RN).

Além disso, foram autuados em flagrante por posse de arma Antônio Edilson Araújo Santos e Auristécio Paulino Fernandes em Alto do Rodrigues (RN) e um homem conhecido apenas por “Rafael” em Nísia Floresta (RN).

“Os carros roubados no Rio Grande do Norte eram trazidos para cá, para serem adulterados ou desmanchados e em seguida repassados aos receptadores. O inverso também acontecia, carros roubados aqui na Paraíba eram clonados no Estado vizinho”, explicou o delegado regional de Guarabira, Norival Portela, que coordenou uma das equipes de trabalho da Operação. A maior parte dos presos foi autuada por receptação.

A Operação – A mega operação continua nos dois estados e envolve a participação de cerca de 100 policiais que trabalham, desde cedo, no cumprimento de 16 mandados de prisão e busca e apreensão nas cidades paraibanas Araruna, Nova Floresta, Cacimba de Dentro, Cuité, Picuí e Barra de Santa Rosa; e nas cidades de Santa Cruz, Alto do Rodrigues, Tenente Laurentino, Currais Novos, Parnamirim e Natal, no Rio Grande do Norte.  Ao todo foram cumpridos 11 mandados de prisão e de 15 de busca e apreensão.

Na Paraíba, a operação contou com a participação do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (Goe), da Gerência Executiva de Inteligência (Gintel) da Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds), da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos da Capital e da 3ª Delegacia Regional de Polícia Civil, em Guarabira. No Rio Grande do Norte, a operação foi coordenada pelo delegado Ben-Hur Cirino de Medeiros. O trabalho é fruto de uma investigação realizada pela Divisão Especializada em Investigações e Combate ao Crime Organizado (Deicor), comandada pelo delegado Normando Feitosa.

De acordo com o secretário da Segurança e da Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima, a realização de ações conjuntas entre as polícias da Paraíba e do Rio Grande do Norte, e com os demais estados vizinhos, serão cada vez mais frequentes. “Estamos buscando uma integração cada vez maior das nossas policias com os outros estados do Nordeste. Com isso, nós ampliando nosso alcance no controle da criminalidade, que não estabelece fronteiras”, destacou o secretário.