Fale Conosco

5 de abril de 2018

​Governo participa de Atlas Eólico da Paraíba e disponibiliza link para download



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia (Seirhmact), participou do desenvolvimento do Atlas Eólico da Paraíba que apresenta detalhadamente os regimes de vento e os respectivos potenciais na geração de energia. Além disso, é um instrumento para a definição de políticas públicas e insere definitivamente a Paraíba na rota mundial de investimentos nacionais e internacionais em energia eólica, contribuindo para incentivar e alavancar o setor e a gerar mais empregos.

O Atlas foi desenvolvido por meio de convênio e de ações integradas entre o Ministério de Minas e Energia, a Eletrobrás, a Chesf, o Cepel, a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), a Associação Técnico-Científica Ernesto Luiz de Oliveira Júnior (Atecel) e o Governo do Estado da Paraíba. A partir desta quinta-feira (5), Atlas está disponibilizado no portal do Governo do Estado, por meio do seguinte endereço: http://paraiba.pb.gov.br/meio-ambiente-dos-recursos-hidricos-e-da-ciencia-e-tecnologia/

O secretário executivo de Energia, Robson Barbosa, espera que o Atlas seja bem explorado porque a Paraíba tem muito o que mostrar na área. “O nosso Estado, além do recurso eólico de qualidade, dispõe de uma infraestrutura com boas estradas, sistemas comunicação nos locais dos sítios; Linhas de Transmissão, existentes e em construção, para escoamento da energia na Rede Básica do Sistema Interligado Nacional (SIN); agilidade no licenciamento ambiental e políticas de fomento e promoção de energias renováveis, entre outras ações na área”, destacou.

Ainda de acordo com Robson Barbosa, o Atlas indica resultados que a Paraíba possui um potencial eólico. “O nosso Estado tem uma capacidade estimada para instalação em solo firme (onshore) de 10,2 GW a 120 m de altura, em locais com velocidade média superior a 7,5 m/s, o que corresponde, até março de 2018, a mais de 83% de toda a capacidade instalada em energia eólica no Brasil”, acrescentou.

A elaboração do Atlas é de fundamental importância para o fomento e o incentivo ao desenvolvimento de empreendimentos energéticos com base em fontes de energia renovável. A iniciativa contribui para mitigar impactos socioambientais negativos decorrentes da utilização de combustíveis fósseis, e para melhorar o perfil da matriz energética brasileira por meio da inserção de energia limpa.