João Pessoa
Feed de Notícias

‘Olhar Brasil’ atende 53 apenados do Presídio Silvio Porto, na Capital

quinta-feira, 27 de maio de 2010 - 16:20 - Fotos: 
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) iniciou nesta quinta-feira (27), as ações do Programa Olhar Brasil no sistema prisional do Estado. O presídio de segurança máxima Desembargador Sílvio Porto, no Bairro de Mangabeira, em João Pessoa, foi o primeiro contemplado, sendo atendidos 53 presos.

A meta do Governo do Estado é estender o programa federal para todas as penitenciárias e cadeias públicas, onde existam apenados matriculados no Programa Brasil Alfabetizado.  A ação do Olhar Brasil nos presídios é executada através da parceria entre as secretarias de Estado da Saúde (SES), da Educação e da Administração Penitenciária.

O processo – A coordenadora operacional do Olhar Brasil, Mônica Paiva Fialho Carneiro Braga, explicou que para o programa chegar aos presídios, a SES vinha mantendo entendimento com a Secretaria da Cidadania e Administração Penitenciária (Secap), desde o ano passado. “Os presos tiveram que tirar o Cartão SUS, que é um dos principais requisitos para garantir o atendimento e esse trabalho foi feito por uma funcionária da Gerência de Atenção Básica da SES”, afirmou.

No atendimento aos presos, os profissionais da Gerência de Saúde da Secretaria de Administração Penitenciária fazem um breve histórico da saúde do detento e encaminha-o ao exame de vista.  Em outra sala, o detento escolhe os óculos e tira as medidas. Eles deverão receber os óculos em 30 dias.

Depoimentos – O primeiro detento que fez o exame foi André Antônio Leite da Silva, 43 anos, condenado a 27 anos  por homicídio. Cego do olho esquerdo devido a uma cirurgia, o detento se queixou que tinha dificuldades pra enxergar com o outro olho. Após o exame, ficou constatado que ele não apresentava nenhum problema grave, mas vai precisar usar óculos apenas para correção da vista. “É muito bom esse programa, pois eu estava precisando mesmo fazer esse exame”, disse.

Miquéias Ferreira, 24 anos, que cumpre pena de seis anos e seis meses por assalto também fez o exame e precisou usar óculos apenas para descanso da vista. Ele disse que sempre que está estudando sente a visão embaçada e pensou que fosse um problema sério.

“Agora, graças a esse programa, eu estou mais aliviado, pois descobri que não tenho nada grave”, comemorou. José Borges de Souza, 29 anos, condenado a 58 anos de prisão por latrocínio (roubo seguido de morte) também vai usar óculos para a correção da visão. “Essa ação que está sendo feito agora como também o Brasil Alfabetizado mostra a preocupação das autoridades com a gente, que sempre é marginalizada e discriminada pela sociedade”, comentou o preso.

Aulas no presídio – A gerente operacional da modalidade de ensino Educação para Jovens e Adultos (EJA) da Secretaria de Educação do Estado, Mônica Pereira, afirmou que no Presídio Sílvio Porto funcionam duas turmas do Brasil Alfabetizado, cada uma com vinte alunos. Eles estudam duas horas por dia, durante quatro dias na semana.  O curso começou no início deste mês e vai durar oito meses.

Ela disse que ainda em João Pessoa existem turmas do Brasil Alfabetizado no Presídio de Segurança Máxima Criminalista Geraldo Beltrão, em Mangabeira, e no Instituto de Psiquiatria Forense, mais conhecido por manicômio judiciário, que fica na Avenida Dom Pedro II, na Torre, em João Pessoa.

Destaque no Nordeste – De acordo com o médico oftalmologista Fabiano Brandão, responsável pelo exame, cerca de 70% dos adultos inscritos no Programa Brasil Alfabetizado necessitam usar óculos, a maioria para correção da visão. Desde que foi implantado na Paraíba, no dia 2 de julho do ano passado, o ‘Olhar Brasil’ já realizou 67 mil atendimentos e entregou aproximadamente 40 mil óculos a estudantes da rede pública de ensino, com idade acima de 15 anos e que fazem parte do Brasil Alfabetizado. Com esse resultado, a Paraíba é o primeiro lugar em atendimentos na região Nordeste.

De acordo com o cronograma, a próxima unidade a ser atendida será o Manicômio Judiciário, na Avenida Pedro II. O atendimento está marcado para o dia 1º de junho e, no local, a meta é beneficiar 30 presos. O ‘Olhar Brasil’ foi criado em 2007 pelo Governo Federal e tem o objetivo de diagnosticar erros de refração (dificuldade de enxergar) nos estudantes da rede pública de ensino, evitando a evasão escolar. As ações são executadas pelas secretarias de Estado da Saúde (SES) e de Educação, com o apoio das prefeituras municipais. A Paraíba foi o quarto estado brasileiro a iniciar os atendimentos.
 

Da Assessoria de Imprensa da SES/PB