João Pessoa
Feed de Notícias

‘Eu sou 12 por 8’: 600 verificam pressão em 2 horas de campanha

segunda-feira, 26 de abril de 2010 - 15:43 - Fotos: 
O professor Isaías Oliveira, 42 anos, é um dos 612.526 paraibanos (24% da população adulta do Estado) que sofre com a hipertensão arterial. Ele participou, nesta segunda-feira (26) – Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, das atividades da campanha ‘Eu sou 12 por 8’, promovida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Quase 600 pessoas passaram pelo estande montado no Busto de Tamandaré, entre as praias de Tambaú e Cabo Branco, na orla de João Pessoa, entre as 6h e 8h desta segunda-feira.

As pessoas que faziam caminhada e outras atividades físicas na orla da Capital tiveram a oportunidade de verificar a pressão arterial, o peso, pegar material educativo sobre a prevenção das doenças cardiovasculares, especialmente da hipertensão arterial, e receber fitas de divulgação da campanha para colocar no braço.

Isaías Oliveira foi um dos visitantes do estande. Ele contou que mudou totalmente os seus hábitos alimentares passando a cumprir uma dieta rigorosa, seguida da prática de exercícios físicos e mais cuidado com a pressão. “Todos os dias eu caminho cerca de uma hora, e verifico a pressão antes e depois da atividade física”, explicou.

Apesar de não ser hipertensa, a aposentada Glória Mousinho, 72 anos, verifica sua pressão todos os dias e faz caminhada. “Em se tratando de saúde, a prevenção é o melhor caminho”, enfatizou. A colega dela de caminhada, Ivani Nóbrega, 67 anos, também não tem problemas de pressão alta, mas garantiu que mesmo assim toma todas as medidas de prevenção.

Exercícios físicos – O cardiologista Fábio Almeida de Medeiros explicou que uma pesquisa realizada pela Vigilância de Fatores de Risco por Inquérito Telefônico (Vigitel), em 2008, nas capitais brasileiras, mostrou que João Pessoa está em terceiro lugar no quesito ‘sedentarismo’. “Isso é preocupante, porque a prática de exercícios físicos é muito importante para o coração, pois ajuda a combater a obesidade, melhora as taxas de triglicerídeos e controla a diabetes”, disse. De acordo com o cardiologista, o hipertenso que faz atividades físicas melhora a sua pressão arterial.

Fábio Almeida afirmou que a hipertensão arterial não tem cura e está diretamente ligada à mortalidade cardiovascular. Ele explicou que doença é responsável por 80% das mortes por acidente vascular cerebral (AVC) e 25% de infarto. O cardiologista recomenda que as pessoas peçam para verificar a pressão arterial sempre que for fazer uma avaliação médica, pois a grande maioria dos hipertensos é assintomática. “Fazer uma caminhada três vezes por semana entre 40 minutos e uma hora para combater o sedentarismo, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, de comidas salgadas, vai ajudar muito a prevenir a hipertensão arterial”, orientou.

Ele explicou que a hipertensão, geralmente, ocorre após os 30 anos, mas o que tem se verificado nos últimos anos que a doença tem atingido crianças e jovens e o sedentarismo tem sido um dos principais fatores. “A pessoa obesa tem maior probabilidade de desenvolver a doença que pode também ser causada pelo uso abusivo de anti-inflamatórios, de anticoncepcionais e anticongestionantes nasais”, afirmou o cardiologista.

Outros dados – Segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde, no ano passado foram registrados na Paraíba 556 óbitos decorrentes de hipertensão arterial, 1.506 por infarto agudo do miocárdio e 1.168 por acidente vascular cerebral (AVC). Com relação às internações, foram 3.211 por hipertensão, 844 por infarto agudo do miocárdio e 2.185 por AVC.

Da Assessoria de Imprensa da SES/PB